• Postado por Tiago

Histórias de quem era criança nos anos 1940 servem de matéria-prima para o documentário Sem Palavras, de Kátia Klock, que será exibido nesta quinta-feira, 23, às 20h30, no Centro Cultural 25 de Julho, em Blumenau.  “Sem Palavras” foi contemplado pelo Prêmio Cinemateca Catarinense/FCC na categoria documentário média-metragem e recebeu R$ 100 mil.  Realizado pela Contraponto, o documentário aborda um período polêmico da história brasileira, os efeitos provocados pela Campanha de Nacionalização de Getúlio Vargas (1937-1945), um conjunto de ações que deixou amargas lembranças.  Sem Palavras teve até agora 13 exibições com uma plateia de 2000 pessoas.  O documentário, que reforça a programação dos 180 anos da imigração alemã de Santa Catarina, será distribuído em breve em DVDs para escolas e bibliotecas catarinenses e instituições culturais do país e exterior.

Quando o Brasil entrou na Segunda Guerra Mundial com os Aliados, em 1942, os idiomas alemão, italiano e japonês tornaram-se proibidos no país e estes estrangeiros e seus descendentes começaram a ser perseguidos.  O documentário de 52 minutos faz um recorte sob a ótica das lembranças e narrativas orais dos descendentes de origem alemã.  A equipe entrevistou moradores de Blumenau, Vila Itoupava, Pomerode, Balneário Camboriú, Joinville, Jaraguá do Sul, Brusque, Jaraguá do Sul e Florianópolis, locais em que também teve acesso a arquivos públicos e privados.  O trabalho reúne fotografias e arquivos sonoros, revelando uma criteriosa pesquisa.

Sem Palavras reconstrói o clima da época com cenas dramatizadas.  As encenação foram realizadas com pessoas que não são atores, e sim descendentes de famílias alemãs de Blumenau.  A trilha sonora é outro detalhe bem afinado no documentário.  O maestro brusquense Edino Krieger cedeu gentilmente composições para o documentário.  Ficou a cargo do trilheiro Ricardo Fujii montar a trilha final.  A finalização do documentário é assinada por Paulo Calasans, que montou ao lado da diretora e do produtor executivo Mauricio Venturi.

  •  

Deixe uma Resposta