• Postado por Tiago

A família da dona Susana Maria da Silva, 46 anos, tá indignada com o vizinho João Hamilton Dutra, que segundo eles teria descido o pau na coitada na manhã de ontem, em Navega. Ele atacou a muié no começo da rua Amadeu Zuki, no bairro São Domingos, onde eles moram, e teria deixado a vizinha toda arrebentada. As filhas da vítima dizem que o motivo da confusão é uma antiga rixa, que começou quando a mãe resolveu cobrar uma grana que o cara tava devendo pra ela.

A treta foi parar na delegacia da city dengodengo e o traste não ficou atrás da jaula porque a lei Maria da Penha só serve para casos familiares, o que deixou a prole da Susana mais revoltada ainda. Essa não foi a primeira vez que a vítima e o vizinho, que tem um bar, discutiram, mas a briga de ontem descambou pra covardia. A família de Susana conta que José Hamilton pegou a coitada de surpresa, que não teve chance de defesa. Ele acertou um soco no olho da vizinha e depois se atracou no cabelo da muié.

Como se não bastasse, o machão a jogou no chão e deu uns chutes pra completar a palhaçada. A galera da rua chamou a polícia, que levou os dois pra depê. José assinou um termo circunstanciado e se comprometeu a sisplicar pra dona justa no dia oito de outubro.

O que deixou as filhotas indignadas é que o cara não ficou preso, como prevê a lei Maria da Penha para agressões de homem contra mulher. Ele foi autuado apenas por lesões corporais, por que a lei criada pra pôr os machões atrás das grades serve só para casos em família.

Lei Maria da Penha

A delegada da depê da mulher de Itajaí, Honorata Cachoeira Rodrigues, explicou que a lei Maria da Penha atende apenas violência intrafamiliar ou então domiciliar. Nesse caso, a agressão só é enquadrada na Maria da Penha se os envolvidos dividirem o mesmo teto ou pelo menos o mesmo terreno, além de possuir algum grau de parentesco.

  •  

Deixe uma Resposta