• Postado por Tiago

PAGINA-9-BASE-g---corte-verbas---senadora-ideli-salvati-foto-rubens-flores-26agoi09-(1)

Ideli diz que não tem nada de errado no curso

Uma reportagem do jornal Folha de São Paulo de ontem denunciou que o Senado teria desembolsado R$ 70 mil em viagens e curso pra senadora Ideli Salvatti (PT) e um assessor. O curso teria rolado entre abril de 2007 e janeiro de 2008 no México, Argentina e Espanha e fazia parte de um programa de capacitação pra grandões de empresas privadas.

De acordo com o jornal, só a inscrição da senadora e do assessor Paulo André Argenta no tal curso teria saído a bagatela de R$ 35,5 mil aos cofres públicos. A graninha gasta com hospedagem na Cidade do México, em Buenos Aires e Sevilha chegava a R$ 11,8 mil. As passagens aéreas também teriam sido pagas pelo senado, num total de R$ 7,5 mil.

O jornal diz ainda que o curso foi promovido pela empresa Newfield Consulting, que foi fundada no Brasil por Luiz Sérgio Gomes da Silva, filiado ao PT e ex-funcionário do governo federal.

Senadora se defende

Ideli Salvatti enviou ontem aos jornais uma nota oficial explicando o caso. A senadora começa sua defesa dizendo que o curso foi pago pelo senado diretamente pra empresa New Field Consulting, sem passar por terceiros. Ideli garantiu que o cursinho foi autorizado pela presidência do senado federal e auditado e aprovado pela diretoria de controle interno da casa.

A petista acredita que com a realização do curso houve melhora no desempenho de sua equipe e completou falando que a grana gasta com sua capacitação e de seu funcionário são compatíveis ao custo de cursos ministrados por outras empresas com atuação parecida no mercado.

A senadora afirmou que o curso ?The Art of Business Coaching? não tem nada a ver com partidos políticos e citou como exemplo o treinamento recebido por diretores e gerentes do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPQ) durante a gestão do então presidente Fernando Henrique Cardoso, que é do PSDB.

  •  

Deixe uma Resposta