• Postado por Tiago

Um homem foi condenado a seis anos e seis meses de prisão por lesões corporais gravíssimas, que resultaram em castração, com a perda de função e deformidade permanente.

Segundo os autos, no dia 14 de fevereiro de 2006, por volta das 23h, numa residência em Santana do Livramento/RS, o Marco Aurélio Menezes Guedes se armou de uma faca de serra e passou nas partes do amigo de cachaçada, com a consequente castração do coitado.

O doidão alega legítima defesa.  “Ele queria coisas comigo aí eu me levantei e capei ele”, contou pra polícia. A vítima conta outra história.  Diz que levou uma paulada e não viu mais nada, acordou no pronto-socorro no dia seguinte.

O fato é que a magistrada Tania da Rosa ficou indignada com a história e não acreditou em nenhuma palavra do Marco Aurélio, figurinha de ficha policial mais suja que pau de galinheiro.  Já a relatora do processo escrevinhou que “as impressionantes circunstâncias do crime prescindem de análise mais aprofundada, já que a própria descrição do fato delituoso choca e repugna por si só, além das consequências extremamente graves acarretadas à vítima, que, além de sofrer deformidade permanente e perder a função reprodutora, ainda terá de enfrentar todas as consequências psicológicas decorrentes da mutilação sofrida”.

A condenação transitou em julgado.  O réu está cumprindo pena na cadeia de Santana do Livramento.

Fonte: Espaço vital

  •  

Deixe uma Resposta