• Postado por Tiago

geral_panorâmica-iceport_divulgação-(1)

A Iceport é uma espécie de geladeira gigante. E bota gigante nisso. O armazém principal tem mais de 30 metros de altura e 30 de largura. De uma ponta a outra tem 180 metros. Esse tamanhão todo dá uma capacidade de armazenagem de até 18 mil toneladas. Ontem, quando rolou o incêndio, tinha 14 mil toneladas de carne de frango, de boi e de porco congeladas. A Iceport é a única estrutura de congelamento e estocagem da América Latina construída num terminal portuário.

Apesar de ter 140 funcionários, a geladeirona é praticamente toda automatizada. Seis robôs gigantes, de fabricação espanhola, são os responsáveis por movimentar a carne na câmara principal do frigorífico. A direção da empresa garante que cabem lá dentro 14 mil pallets, aquelas estruturas de madeira usadas como base das caixas de congelados. Os trabalhadores somente entram na área congelada se houver problemas nas máquinas ou na carga.

Além do concreto, a estrutura da geladeirona é feita de isopainéis, uma mistura de chapas de aço e poliestirenos prensados. Poliestireno é o que a gente costuma chamar de isopor. Até ontem, a administração da Iceport não sabia dizer ao certo o que provocou o incêndio, que começou na parte superior do frigorífico.

O monstrão foi inaugurado no dia 26 de janeiro deste ano. Grandonas como a Cargil Seara e a Brasil Foods (Sadia e Perdigão) estocam na Iceport, que foi certificado pra guardar produtos destinados ao mercado europeu e para a Rússia, o cliente mais chato quando o assunto é compra de carne congelada. A geladeira gigante teria custado mais de R$ 50 milhões.

A direção da Iceport não informou o tamanho do prejuízo nem o valor do seguro da estrutura e das cargas estocadas.

  •  

Deixe uma Resposta