• Postado por Tiago

INTERNA_7_sequestro-itapema-lindomar-pasqualotto-e-alcino-pasqualotto---foto-felipe-vt

Alcino (direita) ao lado do pai, Lindomar Pasqualotto

O jovem empresário foi sequestrado no início da semana passada e solto no dia oito de julho, depois de passar 30 horas no cativeiro.

A polícia civil investiga agora o possível envolvimento de um morador de Itapema no sequestro do empresário Alcino Pasqualotto, 22 anos, que rolou no início da semana passada. Tudo indica que o itapemense seria um informante dos sequestradores e teria garantido parte da estrutura para o crime ser cometido.

Dois bandidaços já foram em cana e outros dois foragidos já foram identificados. Mas para o delegado Carlos Dirceu ainda falta uma peça no quebra-cabeça. O dotô e os investigadores acreditam que mais uma pessoa está envolvida na lambança.

O sujeito, que ainda não tem nome e nem rosto, seria morador de Itapema e teria dado o suporte pra quadrilha agir por aqui. ?Até agora não apareceu nenhum suspeito de Itapema, mas a investigação segue essa linha?, afirma o delegado. Na teoria da polícia, o quinto homem envolvido no sequestro teria passado as informações da vítima e facilitado o trabalho dos trastes na cidade.

Ainda esta semana, a polícia civil vai fazer diligências em São Paulo e outras cidades do Paraná pra buscar Adílio e mais um suspeito. Os dois siscapuliram e suspeita-se que sisconderam pros lados de lá. Fontes da polícia já teriam dado a dica de onde estão os sequestradores.

Traído pelo próprio amigo

O empresário Alcino Pasqualotto foi abordado no centro de Itapema quando visitava Pedro Thais Oviler Cardoso, de quem se considerava amigo. Levado para um cativeiro ainda não identificado pela polícia, foi mantido preso por quase 30 horas. Os sequestradores pediram um milhão pelo resgate. Depois das negociações, a família entregou meio milhão de reais e 75 mil dólares aos salafrários. O empresário foi solto no dia 8 de julho.

Pouco depois, rolou a prisão de Estevan Mariotto e de Pedro. O amigo da onça foi grampeado ainda em Itapema e é apontado como um dos mentores do crime. Pedro teria avisado aos bandidos o melhor momento pra capturar Alcino Pasqualotto. Estevan foi preso quando chegava em Cascavel, no Paraná, com a grana do resgate.

A polícia desconfia que a maioria da quadrilha seja do estado vizinho. Além da dupla, os tiras acreditam que haja mais três envolvidos na treta, que estão foragidos. Um deles é Adílio Neves Dumas, funcionário da fábrica de plásticos de Estevan, que teria levado Alcino até o cativeiro e trampado como carcereiro do rapaz.

Além de Adílio, a polícia aguarda a apresentação da mulher de Estevan, Flávia Pereira, que também teria feito a guarda da vítima no cativeiro. Por gravações telefônicas, os homisdalei descobriram que ela entrou em contato com Adílio após o crime e entregou todo o jogo. O advogado da moçoilabateu um papo com o delegado de Itapema, Carlos Dirceu, e garantiu que a acusada vai dar o ar da graça na depê ainda esta semana.

  •  

Deixe uma Resposta