• Postado por Tiago

A paciência da bancada governista da Câmara de Vereadores de Balneário Camboriú em esperar os requerimentos de criação de mais três CPIs na casa, terminou. Na tarde de hoje, os quatro vereadores da bancada entrarão com um mandato de segurança, obrigando que o presidente da casa, Moacir Schimidt (PSDB), coloque os papélis em votação na última sessão do ano, na próxima terça-feira. As comissões investigarão tretas no sistema tributário da cidade e problemas nos contratos e na execução das obras de algumas empreiteiras.

Segundo o líder da bancada, Claudir Maciel (PPS), diversas solicitações para que os requerimentos fossem colocados na pauta aconteceram desde que as comissões foram propostas, em novembro. O prazo estipulado pelo regimento interno da casa é de uma sessão ordinária, ou seja, os requerimentos deveriam ter ido a votação há mais de um mês. “Se eles quiserem votar contra, que votem, mas a proposta tem que ser debatida e votada em plenário”, contou Claudir.

O quase-socialista diz que a visita do controlador geral da prefa, Militino Testoni, durante a última sessão, reforça ainda mais a necessidade da abertura de uma comissão para apurar as maracutais. “Os R$ 30 milhões que deixaram de ser recolhidos poderiam ser usados para abrir o Hospital Ruth Cardoso, por exemplo. Estas dívidas foram prescritas para beneficiar alguém, e duvido muito que alguém faça isso de graça. É isso que queremos investigar”, diz.

A redação do DIARINHO tentou entrar em contato com o tucano Moarcir Schimidt, mas segundo sua assessoria, ele estava em uma reunião e retornaria a ligação, o que não aconteceu.

  •  

Deixe uma Resposta