• Postado por Tiago

G22U_4365_ALL

Além da leste oeste, uma linha ferroviária ligaria os portos catarinenses

Até o final do mês o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) lança o edital de licitação para a contratação das empresas que irão fazer os estudos de viabilidade técnica, econômica e ambiental da ferrovia do frango, que ligará Dionísio Cerqueira, no extremo oeste do estado, a Itajaí. A notícia foi dada pelo deputado estadual Pedro Uczai (PT) durante debate na associação empresarial de Itajaí (ACII), na noitinha de segunda-feira.

O deputado polacão informou que o governo federal já disponibilizou R$ 16 milhões para esta primeira etapa do projeto da ferrovia que unirá Itajaí ao oeste catarinense. Pedro Uczai é o coordenador da frente parlamentar que reúne senadores e deputados federais e estaduais de Santa Catarina, Paraná e Mato Grosso Sul que tem como objetivo pressionar o governo federal para a construção de uma malha ferroviária entre os três estados.

A previsão para a licitação das obras, que estão orçadas em R$ 1,850 bilhão, é dezembro de 2010. O dinheiro faz parte do orçamento do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), do governo federal.

Para Uczai, a ferrovia vai manter a atratividade do porto de Itajaí, principal exportador de produtos congelados do oeste catarinense. ?Com a ferrovia leste oeste, teremos integradas as grandes regiões produtoras do estado com o litoral e aí poderemos trazer as mercadoria de forma mais barata, com segurança e eficiência?, discursa o parlamentar.

O administrador Celso Félix de Lima, consultor para a área portuária, diz que a linha férrea chega atrasada para compor a logística de transporte portuário. ?Como foi dito durante o debate com o deputado Pedro Uczai, é impossível pensar um porto moderno sem o modal ferroviário?, acrescenta.

Uma das conseqüências positivas da ferrovia, explica o consultor, será a diminuição do custo de transporte de algumas mercadorias, principalmente a carne. ?E isso é positivo demais, pois o setor da carne é a força do porto de Itajaí, de Santa Catarina e do oeste do estado quando a gente fala em exportação?, afirma.

Serão 800 quilômetros de linha férrea

A ferrovia leste oeste vai ligar Itajaí à Dionísio Cerqueira. A intenção é escoar a produção de Santa Catarina, com destino ao principal porto do estado. Também faz parte do projeto uma ferrovia que ligue todo o litoral. É que os técnicos chamam de intermodal. Com isso, toda a logística de transporte voltada para a exportação e importação estaria interligada. O transporte ferroviário é considerado mais seguro, mais rápido e mais barato que o rodoviário.

Pelo projeto que está sendo estudado pelos sabichões do Departamento Nacional de Infraestrutura e Transportes (DNIT), a ferrovia leste oeste teria extensão aproximada de 800 quilômetros. Há também acordos com o Argentina para que os gringos continuem o mesmo caminho em direção ao Chile. O governo brasileiro já propôs um corredor ferroviário entre o Atlântico e o Pacífico.

Santa Catarina já tem 1.365 quilômetros de ferrovia. As empresas América Latina Logística (ALL) e Ferrovia Tereza Cristina são as concessionárias do transporte no estado.

A ALL faz a linha que liga o norte do estado ao porto de São Francisco do Sul e transporta, principalmente, produtos da agricultura. Também tem uma linha entre Mafra e a fronteira com o Rio Grande do Sul, passando por Curitibanos e Lages. O tronco entre Mafra e Piratuba, também da ALL, está desativado. A Tereza Cristina atua no sul, entre Criciúma e Imbituba. É especializada no transporte de carvão mineral.

  •  

Deixe uma Resposta