• Postado por Tiago

CONTRA-ABRE---base-marcilio-e-figueirense-buracos-no-campo-(16)

Campo tá desnivelado e cheio de buracos, o que caga a vida dos jogadores

O retrospecto do Marcílio Dias no Brasileirinho, principalmente nos jogos disputados no estádio Dr. Hercílio Luz, tá feio pra cacete. Em três partidas em casa, o Marinheiro conseguiu perder todas. E como se não bastasse o time ser bem meia-boca, outro problema atormenta a marujada sempre que os jogadores colocam os pés dentro de campo: o estado tosco do gramado.

Como os times amadores não emprestam mais seus campos pro clube, os treinos e jogos dos profissionais do Rubro-anil rolam sempre no Gigantão, também usado pelas categorias de base. Aí não há campo que resista e hoje ele tá todo desnivelado e cheio de buracos. O resultado é que os boleiros não conseguem dominar uma bola direito, tomam vaia da torcida e ainda correm o risco de se machucarem.

O técnico Ronaldo Alfredo não se cansa de reclamar do gramado e repetiu o chororô após a derrota pro Criciúma. O comandante afirmou que o estado do campo foi um dos fatores que contribuíram pra derrota do time. ?Com esse campo, pra quem quer vencer jogando em casa, é ruim?.

Além de lembrar os buracos no campo, que são tapados com areia, o comandante marcilista falou de uma ?cratera? do lado esquerdo da trave próxima à Cassol, que vem sendo o terror da marujada. ?O Lira (meio-campo) me disse que quando passou por ali, a bola quicou de um jeito estranho e ele perdeu a jogada. Mas quando um atacante do Criciúma fez a mesma jogada, ela não quicou. Até nisso a gente é prejudicado?, lamentou Ronaldo.

Coisa feia

O treinador de goleiros da equipe profissional, Gilmar da Silva, também sente dificuldades durante os treinamentos, pois o local mais usado pra ralar com os goleiros do time é na área do gol. ?Ali tá muito ruim, praticamente um lodo?, disse Gilmar, desabafando e falando que o gol próximo da entrada do clube é caso de polícia. ?É difícil de trabalhar, mas não tem o que fazer?.

No treinamento da marujada na segunda-feira, por exemplo, o campo estava encharcado pela chuva. Mesmo assim, Ronaldo botou a marujada pra suar. ?É até melhor treinar quando chove, assim a bola não sai quicando, do nada?.

Ronaldo Alfredo e Gilmar afirmaram que o problema poderia ser resolvido, se o time treinasse nos campos da região. ?Mas ninguém quer emprestar, tá difícil?, comentou o treinador de goleiros, sem falar os motivos deste ?boicote?.

O presidente da Liga Itajaiense de Desportos, Miguel Américo Lopes, afirmou que cada clube amador decide o que fazer com o próprio campo e não deu detalhes sobre esta falta de sintonia entre Marcílio e times amadores de Itajaí. Os campos que o Marinheiro costumava treinar eram do Estiva, Ipiranga, Baía e Rio do Ouro, mas agora sobrou só o judiado Gigantão.

Não joga mais

A sorte ou azar do Marcílio pra sequência da série C é que os próximos três jogos do time ? contra Marília, Brasil de Pelotas e Caxias ? serão fora de casa. ?Eu prefiro que seja assim, fora de casa atuamos melhor. Nesse gramado não dá?, finalizou Ronaldo.

  •  

Deixe uma Resposta