• Postado por Tiago

Os laudos das secretarias de Saúde e Obras com informações sobre as condições do cadeião peixeiro devem levar mais algumas semanas pra ficarem prontos. O prazo, que terminava segunda-feira, foi estendido porque as secretarias não receberam os ofícios enviados em setembro pelo gabinete do juiz corregedor do presídio, Carlos Roberto da Silva.

Os papélis foram postados na agência dos Correios e ficaram perdidos durante a greve dos carteiros, que durou 10 dias e terminou no dia 25 do mês passado. O dotô tá esperando pelos documentos pra anexar em um dossiê pedindo a interdição do cadeião. A ideia do juiz é enviar o quanto antes para a corregedoria geral do estado o pedincho, pra acabar de vez com a superlotação no presídio.

O assessor do juiz, Pablo Sinhori Inglez, explica que o pessoal do gabinete só se tocou que os correios tavam empacando os laudos no dia 30. Eles acharam estranho a falta de resposta das secretarias depois de 20 dias e descobriram que os ofícios nem tinham chegado aos seus destinos.

No mesmo dia o cartório do fórum mandou os ofícios por fax. Ontem a secretaria de Obras respondeu indicando o engenheiro que ficaria responsável pelo laudo. O entendido tem até a semana que vem para concluir a avaliação. Os barnabés da Saúde ainda não responderam, mas também terão cinco dias para responder o pedincho, depois de indicarem a pessoa responsável.

O processo de interdição do presídio de Itajaí rola desde 2005, mas só em setembro o Ministério Público apresentou um parecer apoiando a proposta de interdição. O juiz corregedor resolveu levar adiante o processo depois que o pedido de transferência de 200 presos do cadeião peixeiro foi negado pela secretaria de Segurança Pública da Santa & Bela. Os abobrões catarinas alegaram falta de espaço nos outros presídios do estado pra por tanto preso de uma só vez.

  •  

Deixe uma Resposta