• Postado por Tiago

PAGINA-9-BASE-g---greve-saude---hospital-celso-ramos-foto-rubens-flores-09nov09-(4)

Pacientes dão com cara na porta na segunda-feira no Celso Ramos

De nada adiantou a dona justa determinar na sexta-feira que a greve dos barnabés da Saúde é ilegal. A turma fez de conta que não é com eles e o atendimento nas unidades de saúde da Grande Floripa continua emperrado. Nos hospitais, somente casos de emergência tão sendo atendidos e, mesmo assim, o pessoal do comando de greve faz uma triagem pra saber se o paciente tá mesmo ruinzão ou pode ir pra casa tomar um Melhoral e esperar a greve acabar pra voltar a pedir ajuda.

Encontrar alguém do SindSaúde tem sido função pra detetive. O povo não atende aos celulares e parece que se esconde quando alguém da imprensa chega em frente aos hospitais. Pela assessoria, o comando do SindSaúde informou ontem perto do meio-dia que ainda não tinham sido notificados da decisão da justa e que antes de retornar ao trampo o documento será avaliado pelos advogados e discutido com os trabalhadores o fim do movimento. Cada dia de desobediência judicial gera multa de R$ 20 mil. No final da tarde, o governo do estado disse que os sindicalistas receberam a ordem da justa pra voltar ao trampo.

Do outro lado, a secretaria de Saúde segue na pressão. ?Só voltaremos a negociar se houver o retorno ao trabalho. Os servidores precisam cumprir a decisão da justiça para que então possamos voltar a conversar?, avisa a secretária adjunta, Carmen Zanotto.

Os grevistas divulgam que 70% dos 13 mil trabalhadores da saúde da Santa & Bela cruzaram os braços pelo reajuste salarial de mais de 16% e melhores condições de trabalho. A greve completa hoje uma semana e afeta principalmente os serviços ambulatoriais e cirurgias eletivas.

A secretaria tem tentado de tudo quanto é jeito prestar atendimento aos pacientes e evitar que a remarcação de consultas e cirurgias seja um novo transtorno. Reuniões e mais reuniões têm sido realizadas com diretores das unidades de saúde pra tentar amenizar a situação. Mas centenas de pacientes seguem dando com os cornos nas portas. Pacientes do interior do estado também continuam a peregrinação em busca de auxílio médico e tão voltando pra casa frustrados.

  •  

Deixe uma Resposta