• Postado por Tiago

A itajaiense Ana Raquel Berdete Meirelles, 30 anos, não sabe mais o que faz pra conseguir receber a grana de sua rescisão trabalhista. Há cerca de um ano, ela foi demitida do Recanto do Idoso Flor de Lis, que fica na Penha. O problema é que a coitada só recebeu a metade do que deveria e há sete meses luta pra que a dona do asilo, cujo nome seria Marlene, lhe pague o restante. “Eu quero o que é meu. É meu direito, né!?”, disse a trabalhadora.

Ana Raquel fala que trabalhou no asilo por dois anos e meio. Quando a casa de velhinhos mudou de Itajaí pra Penha, a peixeira não teve mais como continuar o trampo. Foi aí que a funcionária e a patroa entraram num acordo. “Tudo o que eu tinha pra receber chegava a uns R$ 5 mil, já que ela não depositava o FGTS. Daí combinamos que ela me pagaria parcelado, R$ 500 por mês”, revelou.

O problema é que a dona do Flor de Lis não teria cumprido com a promessa. Ana Raquel afirma que a ex-patroa pagou somente a metade do combinado. Já faz mais de meio ano que a trabalhadora não recebe nenhum tostão. “Eu já cansei de ligar pra lá e ouvir promessa. E o pior é que agora ninguém me atende mais”, reclama a trabalhadora.

Durante dois dias o DIARINHO ligou várias vezes pro Recanto do Idoso Flor de Lis. Ninguém atendeu às ligações.

  •  

Deixe uma Resposta