• Postado por Tiago

INTERNA_15_abre_creche-cei-nilo-bittencourt_foto-felipe-vt-(1)

É nessa creche do Nilo Bittencourt que a leitora tenta colocar o filhote

A leitora Gisele Silva dos Santos não consegue vaga nas creches de Itajaí pro seu pimpolho de três aninhos. Há quase dois anos a coitada corre atrás de um lugar pro filhote no centro de educacional infantil (CEI) João Victorino, na rua Israel de Almeida, no loteamento Nilo Bittencourt, no São Viça.

Gisele mora com o maridão, o pequerrucho e outro filho de seis anos bem em frente ao centro de educação infantil (CEI). O filhote mais velho já tá estudando, mas o mais novinho fica pulando de casa em casa da parentada. ?Dependo da minha sogra e da minha mãe pra cuidar dele?, diz Gisele. Ela, assim como o esposo, trampa o dia inteirinho.

A mamãe conta que já fez de tudo um pouco durante esses dois anos pra tentar abrir uma brecha e conseguir o lugar na João Victorino. Até ajuda pro conselho tutelar ela pediu. ?A conselheira me atendeu, fez a folha pra entregar na escola e disse que na João Victorino ou na Antônio João Vicente, que também é perto de onde eu moro, não tem chance?, lembra.

Ela acha uma injustiça ter que se deslocar de onde vive pra deixar o filho numa creche de outro bairro, sendo que a poucos metros de sua baia tem um centro infatil. ?O que me deixa com mais raiva é que lá tem crianças que nem do bairro são?, lascou. Para Gisele, a secretaria de educação deveria dar prioridade para quem mora mais perto dos CEIs.

O mesmo drama

A vendedora Patrícia Seberino, 27 anos, viveu o mesmo drama de Gisele. Penou por oito meses pra conseguir vaga numa creche no bairro São João. Depois que fez a denúncia no conselho tutelar e no DIARINHO, no dia 26 de junho, a secretaria de educação conseguiu a vaga tão esperada.

Toda criança tem direito à vaga, diz conselheira

O direito à educação está previsto no Estatuto da Criança e do Adolescente. Quem tiver esse direito negado deverá procurar o conselho tutelar, que tomará as devidas providências. A conselheira Nara Rosa Soares de Souza diz que quando a vaga é negada os pais devem procurar o órgão. O conselho emite uma requisição de serviço público para a prefa, que tem um prazo de 15 dias para providenciar uma vaguinha pra criança.

O conselho tutelar peixeiro fica na rua Pedro Guerreiro Júnior, 46, na Fazenda. Os telefones são 3248-1711 e o 0800-642-4455.

A orientação do pessoal da secretaria de educação é que os pais procurem diretamente o CEI e deixem o nome na lista de espera com a coordenadora da creche. Na teoria, assim que surgir uma vaguinha a família será chamada.

  •  

Deixe uma Resposta