• Postado por Tiago

INTERNA-ABRE-PAG-22---s---handebol-univali-e-furb---foto-felipe-VT-09

Meninas da Amaj vão jogar por Rio do Sul

Um curioso duelo resume a atual situação do handebol de Itajaí. Numa das etapas regionais pros jogos Abertos de Santa Catarina (Jasc), que rolou em Pomerode, Itapema e Itajaí decidiam uma vaga na final do handebol masculino, no último findi. Ao apito final, melhor pro time de Itapema, que de Itapema mesmo só tem o nome. Na verdade, a equipe era representada por atletas peixeiros da associação Mãos que Abraçam e Jogam (Amaj), de Itajaí, do técnico Drean Farencena, que ficou com o título da etapa e com uma das três vagas pros Jasc.

Pra piorar, o time ?verdadeiro? de Itajaí perdeu a disputa pelo terceiro lugar pra Joinville e ficou de fora dos jogos abertos, que começam dia 12, em Chapecó. Ou seja, uma equipe de peixeiros vai jogar a principal competição do estado por outra cidade e Itajaí ficou de fora porque foi eliminada por atletas da city. Confuso, mas esse é o cenário do handebol adulto de Itajaí. ?Isso só vem a prejudicar o handebol. São vaidades que prejudicam, isso não é bom?, diz Cláudia Monteiro, técnica das equipes infantis de Itajaí.

Cada um por si

Mesmo disputando a liga Nacional com o nome de Itajaí, a Amaj se considera independente, já que os times da fundação Municipal de Esportes e Lazer (FMEL) da city são representados pela associação Amigos do Handebol de Itajaí. ?Estamos seguindo a nossa filosofia de trabalho e fazer as nossas jogadoras jogarem mais campeonatos possíveis. Não existe racha, existe trabalho e uma maneira diferente de pensar?, diz Luiz Carlos Décimo, o Pinto, técnico do time feminino da Amaj, que conquistou a vaga pros Jasc na etapa regional de Caçador.

Só que, a exemplo do time masculino, que eliminou Itajaí e vai representar Itapema, as minas da Amaj vestirão a camisa de outra city nos Jasc, a de Rio do Sul. ?Como Itajaí já tem times, vamos jogar por outras cidades. Não temos muito contato com eles (de Rio de Sul), mas é um campeonato a mais no ano. Não tem nada de rivalidade, se cruzar com elas não tem problema?, diz Pinto.

O time das minas peixeiras, de Itajaí mesmo, foi a única salvação. A equipe comandada pelo técnico Norton Cordini venceu Joinville e levantou o troféu do regional dos Jasc, em Pomerode. ?A nossa equipe é nova, são todas de Itajaí. A nossa expectativa é ficar entre os quatro. Tirando Blumenau e Concórdia, as outras equipes são equilibradas. Todos os jogos vão ser equilibrados?, prevê Norton.

Me engana que eu gosto

O racha, que realmente rola no handebol peixeiro, começou com a troca de partido político do governo municipal. Com a mudança, os times da FMEL mudaram e a Amaj perdeu espaço. Mas todos negam a divisão. ?Não tenho nada contra eles (da Amaj), fui contratado. Não tenho nada a ver com essa briga, sou profissional?, se esquiva Norton. ?Não é um racha, cada grupo de pessoas tem sua filosofia de trabalho?, completa Pinto.

  •  

Deixe uma Resposta