• Postado por Tiago

A aprovação da bendita Guarda Municipal de Balneário Camboriú em primeira votação, na última terça-feira, ainda vai dar muito pano pra manga. Na sessão de ontem da câmara de Vereadores, o vereador Hannibal (PP) disse que ficou putodacara com a atitude do secretário de Articulação Política, Marcos Weissheimer (PMDB). Em entrevista, o gorducho secretário disse que não fez nenhum acordo com a bancada de oposição, desmentindo o que os vereadores do PSDB, PP e DEM haviam dito durante a sessão de terça.

Emputecido após ter sido desmentido, Hannibal lascou que nunca mais fala com Weissheimer para nada, e de hoje em diante, só resolve as coisas direto com quem manda. “Com ele não falo mais, se quiser saber o que pensa o Executivo, falarei diretamente com o prefeito Edson Periquito”, prometeu.

Já os vereadores da bancada de situação Claudir Maciel (PPS) e Nilson Probst (PMDB) malharam o discurso da oposição. De acordo com Claudir, os tucanos parecem ter medo de que o passado venha à tona. “Temos que nos focar no futuro, mas não podemos esquecer as coisas que deixaram de ser feitas nos últimos 20 anos pelo PSDB”, sapecou. Claudir fez questão de lembrar que quando a nova gestão assumiu a prefeitura, não havia previsão orçamentária para a expansão das creches e para a abertura do Hospital Ruth Cardoso.

A sessão de ontem também marcou um momento histórico: o primeiro pronunciamento de Asinil Medeiros (PR). Após 10 meses de mandato, Medeirinhos rompeu o silêncio e falou sobre as obras da Quinta avenida, que estão com o cronograma atrasado.

  •  

Deixe uma Resposta