• Postado por Tiago

CAPA-ABRE-g---hercilio

Único carro que passa é o de bebê

Mães empurrando seus carrinhos de bebê, um trio de amigas caminhando e gargalhando, velhinhas carregando as últimas compras do dia e um catador do lixo e seu carrinho cheio de papelão. A cena rolava às 20h de ontem, na Hercílio Luz, a principal rua do centro peixeiro, que aglomera a maior quantidade de lojas. Só não se via carangas que, desde a noite de segunda-feira, voltaram a ter permissão pra circular pela rua do comércio das 20h às 7h.

Rafael Sarrafo, 22 anos, vende pipoca na Hercílio e, nos dois primeiros dias de liberação da carangas, não viu mais de cinco motoras se aventurarem pelo calçadão peixeiro. ?Por enquanto não mudou nada, mas assim que os carros começarem a passar a população vai reclamar?, alerta.

O pipoqueiro lembra que muitas pessoas usam o calçadão pra passear com os filhos depois que o comércio fecha porque é um horário com menos movimento e que, com a abertura pro tráfego de carangas, o risco de rolar um acidente vai aumentar. ?Assim que os carros começarem a passar não vai demorar pra acontecer um acidente. Eu sou contra essa abertura?, lascou Rafael.

Quem também não viu nenhuma diferença na abertura foi Márcio Rothbarth, 51 anos, proprietário de uma banca de revistas na Hercílio. ?Não pegou. Se não fizerem uma divulgação vai ficar desse jeito?, disse.

O comerciante considera que a criação do calçadão matou o comércio no centro da cidade e que será difícil fazer voltar o movimento das carangas na principal rua do centro. ?Quando se mata o comércio é muito difícil voltar. A prefeitura teria que fazer alguma atividade especial para tentar recuperar o movimento aqui?, comentou.

Quem não tá muito a fim de ver os carros de volta na Hercílio Luz também criticou a abertura. Um morador do centro da cidade, que não quis se identificar, diz que a mudança foi feita de qualquer jeito e não vai surtir o efeito desejado pelos comerciantes. ?Não adianta só colocar uma placa lá na frente, dizendo que pode entrar na rua?, disse.

Além de não ter os carros de volta, a Hercílio Luz não tem os semáforos ou pelo menos as placas de ?PARE? nos cruzamentos com a avenida Sete de Setembro e a rua Felipe Schmidt. Também faltam as áreas demarcadas pro estacionamento das carangas. Se alguém quiser parar pra ver uma vitrine, tem que sair da rua, procurar um estacionamento em outro lugar e voltar diapé pra apreciar os produtos à venda.

A reportagem do DIARINHO ficou mais de meia na Hercílio Luz ontem à noite e viu apenas uma caranga circular pela rua.

  •  

Deixe uma Resposta