• Postado por Tiago

Um crime bárbaro chocou os moradores do bairro Jardim Progresso, em Tijucas. Um homem identificado por Negão foi assassinado com golpes de garrafa, facadas e tiros, dentro de um boteco. Um suspeito de ter cometido a barbaridade foi preso horas depois do crime, mas negou tudo. A polícia Militar ainda não sabe o que pode ter atiçado a ira do matador.

A tragédia rolou às 21h30 de sábado. A PM recebeu um telefonema de moradores da rua Projetada I, que disseram que um traste tinha tentado matar um homem dentro de um bar, e fugido com a motoca da vítima. Quando pintaram na área, os milicos encontraram Negão agonizando.

Pelo jeito, o assassino quis garantir que o pobre partiria dessa pra uma melhor, porque o atingiu com garrafadas na cabeça, cinco facadas no pescoço e, pra completar o serviço, lascou-lhe dois tirombaços. Um acertou as costas e o outro a perna.

Os fardados chamaram os bombeiros, que carregaram Negão pro hospital São José, mas o coitado morreu assim que foi tirado da ambulância. Enquanto isso, a polícia tentava descobrir pistas que pudessem levar ao responsável pela crueldade.
O povão não quis saber de entregar o traste, e todo mundo jurou de mãozinhas postas que não sabia de quem se tratava. A única informação que a PM conseguiu era de que o assassino vestia uma bermuda escura, uma camisa listrada, e que tinha fugido numa moto azul. Os homis fizeram rondas, mas não acharam nem sinal do cara.

Duas horas depois, uma dupla de moçoilas que largava o trampo numa fábrica na rua Euclides Peixoto, bairro Santa Luzia, avisou os meganhas que tinha sido ameaçada por um cara com as mesmas características do matador. Ele parou junto das duas e, com medo, elas apontaram um estilete pra ele. Entisicado, o traste disse que já tinha matado um naquela noite e que não lhe custaria mandar mais duas pro andar de cima.

A polícia conseguiu gudunhar o cara a poucos metros dali. Milton Carlos da Rocha foi levado pra delegacia e a moto que pilotava foi reconhecida pelas duas garotas. Os tiras não confirmaram se a cabrita encontrada com Milton era de Negão.

Até a tarde de ontem, Milton negava ter matado Negão, mas continuava preso. O morto foi recolhido pelo IML de Balneário Camboriú e tá à espera de identificação. O cara é pardo, tem mais de 1,80 metro, olhos e cabelos escuros, e dois dragões tatuados no lado direito da barriga, um azul e o outro verde.

  •  

Deixe uma Resposta