• Postado por Tiago

segunda-interna-6-p---cativeiro-empresario-de-itapema.jpg-(1)

Descrição da vítima bateu com quarto encontrado na casa

Aos poucos, os homisdalei solucionam o sequestro do empresário de Itapema, Alcino Pasqualotto, 22 anos. Ontem, a polícia localizou a casa que serviu como cativeiro do rapaz rendido no dia seis de julho. A baia foi alugada por um dos malacabados em Barra Velha.

Depois de grampear o celular de Estevan Mariotto e Pedro Taís Oviler Cardoso, acusados de praticar o crime, os puliças chegaram até a casa 85 da rua Osvaldo Santos, no centro da terra do pirão com linguiça, que teria sido usada pelos bandidos pra prática do crime.

A casa tava toda mobiliada e tinha até churrasqueira pras festocas. Na baiuca tem ainda um quarto com uma cama de casal e um beliche, como tinha descrito a vítima, após ser libertada do cativeiro.

Imagens da casa foram feitas e serão mostradas a Alcino na semana que vem, pra que ele reconheça o lugar. ?Não temos dúvidas. Pela descrição, este é o cativeiro?, garante o delegado de Itapema, Carlos Dirceu Silva.

Os vizinhos também contaram aos policiais que os vagabundos entravam e saíam do terreno a bordo de um Golf prata, uma Pajero TR4 preta e de uma motoca preta. Carangas com estas características foram apreendidas com os bandidos. Além disso, testemunhas reconheceram Estevan como sendo a pessoa que alugou a moradia.

Mais três

Os tiras esperam ainda localizar outras três pessoas envolvidas no crime. Uma das pessoas foragidas é a mulher de Estevan, Flávia Pereira. O advogado da moçoila bateu um papo com o delegado na semana passada e prometeu que a muié iria se apresentar esta semana. Só que até agora ela não apareceu. ?Apesar de ser notório que ela sabe do crime, acredito que a prisão dela deva ser relaxada, porque ela não teve participação direta no fato?, opina Carlos Dirceu. Mesmo com o possível arrego, Flávia tá com a prisão temporária, aquela de 30 dias, decretada.

Quem também tá na mira dos homisdalei é Adílio Neves Dumas, funcionário da fábrica de plásticos de Estevan. Pra polícia, foi ele quem levou Alcino até o cativeiro e fez o serviço de carcereiro da vítima. Os tiras acreditam que tem mais um vagabundo metido no sequestro, mas preferem não revelar a identidade do traste, pra não atrapalhar as investigações. ?Quando conseguirmos ouvir o Adílio e a Flávia e identificar este terceiro, poderemos considerar o caso como encerrado?, garante o dotô.

Relembre

Alcino foi sequestrado no dia seis de julho, dentro do apê de Pedro, em Itapema. O amigo da onça atraiu o rapaz até a sua casa e avisou Estevan e Adílio, que levaram a vítima pro cativeiro. Horas depois, eles pediram pra família R$ 1 milhão pelo resgate. As negociações acabaram e Alcino foi solto 30 horas depois, quando os Pasqualotto pagaram R$ 500 mil e 75 mil dólares.

Os homisdalei colaram na rabeta nos sequestradores e deram o atraque. Pedro foi preso em sua casa e Estevan caiu com a grana do resgate em Cascavel, no Paraná.

  •  

Deixe uma Resposta