• Postado por Tiago

INTERNA_14_base-direita_diarinho-pequeno-anjo 

Na noite de terça-feira da semana passada, dia 30, a estudante S.R., 26 anos, levou seu neném recém-nascido ao Hospital Universitário Pequeno Anjo, de Itajaí. Ela teve uma surpresa quando os funcionários da recepção do hospital disseram que não atenderiam a criança e a mandaram pro pronto atendimento (PA) do São Vicente. Para a mãezona, isso é um descaso do hospital.

S. conta que eram cerca 22h quando levou o filho, que aparentava estar com uma forte gripe. Ao chegar no Pequeno Anjo, logo dicara ouviu que o bebê não seria atendido. Uma funcionária alegou que primeiro a criança teria que passar pelo PA e, de lá, caso a situação fosse realmente grave, seria reencaminhada ao hospital.

Indignada com a falta de respeito, S. procurou saber no PA se realmente o Pequeno Anjo não pode atender ou se tavam fazendo sacanagi com ela. Uma atendente do postinho teria dito que mais de cinco crianças já tinham sido mandadas pra lá e que era pro pessoal do hospital ter atendido os pequerruchos. A indignação da estudante, é que o hospital infantil tava vazio e o PA lotadaço.

O OUTRO LADO

Melita Casarin, secretária da direção do Hospital Universitário, disse ao DIARINHO que fica difícil saber o que realmente aconteceu, já que a mãezona não quis se identificar.

Ela acredita que o atendimento não era de urgência, por isso que a criança foi encaminhada ao postinho. ?Como já é de conhecimento de todos, o atendimento do Hospital Pequeno Anjo é pra urgência ou emergência e não ambulatorial?, concluiu.

  •  

Deixe uma Resposta