• Postado por Tiago

Há cinco dias, o povão que depende do Sistema Único de Saúde (SUS) pra receber atendimento médico não pode bater chapa no hospital de Camboriú. O aparelhinho de raio-x tá capenga, escangalhou uma peça e as fotinhos tão saindo feiosas. Pra evitar que algum médico veja cabelo em ovo com o resultado dos exames, a direção do hospital decidiu suspender os atendimentos.

Desde segunda-feira, pacientes da cidade da pedra tão tendo que tirar um dindim do bolso pra pagar um busão pra ir até Balneário Camboriú tirar a chapa. Como os atendimentos no hospital do município tão suspensos, os exames de lá foram transferidos pro hospital Santa Inês e pro Centrorad, clínica da rua Dinamarca.

Os bombeiros também tiveram que aumentar a sua rota. Na quinta-feira, atenderam uma tiazinha que caiu de moto e machucou a buzanfa. “Não era nada grave, mas como ela estava com dores e com suspeita de fratura, levamos pra análise”, explicou o vermelhinho Hemiel Demétrius da Nóbrega Pinheiro. Os socorristas deram uma passada no hospital de Camboriú, constataram que não tinha raio-x funcionando e levaram a mulé dodói pro Santa Inês.

Ontem, os bombeiros receberam um ofício da direção do hospital informando o problema e orientando que os pacientes fossem levados, por enquanto, pra outras unidades de saúde.

Máquina escangalhou

O presidente da fundação hospitalar, Edson de Lima, explica que a peça que faz a revelação do raio-x, chamada de processadora, estragou. Como a geringonça tem 15 anos, hoje em dia não é mais encontrado o treco pra reposição. “O técnico colocou outra peça por enquanto, mas a qualidade é ruim. Pra evitar uma interpretação dúbia, optamos por suspender os atendimentos”, exlicou.

O entendido no assunto tá vasculhando meio mundo atrás da parte que falta. Dotô Edson acredita que a traquitana esteja nos trinques até semana que vem. Ele garante ainda que já tá mexendo os pauzinhos pra substituir de vez a cangalha velha que bate o raio-x. O aparelho novo custa cerca de R$ 80 mil.

  •  

Deixe uma Resposta