• Postado por Tiago

Quando a caranga é grandona, então, não sobra nem uma merreca de calçada

A calçada em frente ao hotel Gracher, na rua 3300, no centro de Balneário Camboriú, foi transformada em estacionamento exclusivo dos hóspedes do lugar. São cinco vagas destinadas a carangas que tomam conta de quase toda a calçada e obrigam os pedestres a caminharem pela rua, arriscando a vida entre os possantes.

D.J.G., morador da avenida Atlântica, passou na frente do hotel na semana passada e ficou de cara com a folgação. ?Chegaram ao cúmulo de colar na parede um aviso de que se trata de área de uso exclusivo do hotel, e os pedestres que se danem?, conta. O homem afirma que toda pessoa que passa por lá diapé tem que passar pela rua, disputando espaço com os carros que passam em alta velocidade.

A reportagem esteve no local e constatou o problema. Parte do espaço destinado à calçada acaba sendo ocupada pelos carros. Os donos do hotel chegaram a pintar uma faixa amarela no local para delimitar o espaço dos possantes e dos pedestres. No entanto, a área não é suficiente, já que a parte liberada pro povão diapé é estreita e permite a passagem de só uma pessoa.

Pra piorar, se algum dono de caminhonete resolver estacionar por lá, toda a passagem fica bloqueada. Como aconteceu ontem de manhã. Uma monstrenga bunduda ficou parada na vaga e a galera tinha que passar pela pista pra seguir caminho.

É assim há anos

O dono do hotel, Carlos Gracher, afirma que o estacionamento é daquele jeito desde 1972, quando abriu as portas. Afirma que a área foi liberada pela prefa da época e sempre se preocupou com os pedestres. ?Procuramos até pintar a faixa amarela pra evitar esse tipo de problema?, conta.

O empresário garante que os veículos ficam parados no local por pouco tempo. ?É o tempo do manobrista levar o carro pro estacionamento?, explica, referindo-se ao espaço que fica anexo à academia de ginástica Wave. Além disso, conta que muita gente, que nem é hóspede do hotel ou marombado da academia, siaproveita pra estacionar por lá e fazer comprinhas na região.

A reportagem não conseguiu conversar com o gestor do fundo municipal de trânsito, Jaime Mantelli, na manhã de ontem, mas já passou a denúncia pra galera do Funtran, que ficou de mandar um fiscal verificar o problema.

  •  

Deixe uma Resposta