• Postado por Tiago

A senadora Ideli Salvatti (PT) desembarca na cidade peixeira hoje prometendo trazer uma alternativa pra novela das obras do porto desencantar. Ela disse que os abobrões locais tão se fiando muito na boa vontade do Tribunal de Contas da União (TCU) em aceitar o aditivo de 48% pedido pelo consórcio, sem ter um plano B. A ideia da senadora saiu de um papo que ela teve na semana passada com a ministra Dilma Rousseff, mais o ex-prefeito Volnei Morastoni a tiracolo. “Eu levei o Volnei porque não tinha detalhes sobre o porto e ele estava mais por dentro para informar a ministra”, justificou.

Ideli garante que a alternativa, que ela não quis dizer qual é, passa longe de licitações. “Não vou te dar este furo, mas o presidente Lula já está a par e quer que esta situação se resolva logo”, declarou. Ela disse também que o porto corre o risco de continuar escangalhado se as empresas que perderam a licitação cismarem em entrar na dona justa alegando que se era pra pedir aditivo, elas poderiam ter oferecido um valor menor. “O valor apresentado pelo consórcio vencedor foi muito baixo, e depois diz que o projeto foi subdimensionado, isso pode dar margem a suspeitas”, alegou.

Outro problema é com relação à draga, que não anda nem desanda. Ideli disse que não tem informações precisas do porquê do serviço estar tão difícil de ser finalizado. A draga Copacabana, contratada pela superintendência, mal começou a trampar já escangalhou, e o superintendente, Antonio Ayres Júnior, alega que não tem nenhuma outra disponível no mercado.

E a última pendenga é com relação aos estivadores peixeiros que ainda não tão conseguindo trabalhar do lado de lá da vala. Por isso, os trabalhadores portuários também vão participar da reunião que vai rolar hoje, às 10h, na câmara de vereadores peixeira. O prefeito não vai estar presente porque tem um compromisso em Floripa, mas os empresários da associação comercial confirmaram presença. Ideli também acha que não tem cabimento a Portonave ter movimentado 20 mil contêineres em julho e o porto de Itajaí, com dois berços, ter movimentado apenas oito mil.

Depois de Itajaí, a senadora volta pra Brasília, mas esta semana ainda vai encarar duas brigas feias: pela gratuidade do pedágio dos moradores de Palhoça e pela falta de conclusão da duplicação da BR-101, trecho sul. “A semana vai ser cheia!”, acredita.

  •  

Deixe uma Resposta