• Postado por Tiago

Os tiras da polícia civil de Balneário Camboriú esperam botar atrás das grades o mais rápido possível os bandidos que crivaram de bala as paredes da delegacia da Mulher, Criança e Adolescente, na madrugada de segunda-feira, e atingiram um policial civil. Os homisdalei já identificaram todos os integrantes da quadrilha e prometem meter a gangue na jaula o quanto antes.

Menos de 24 horas depois do ataque, o delegado regional Ademir Serafim já tava com a lista de nomes de 10 sujeitos acusados de mandarem os tirombaços na depê. A quadrilha foi comandada por Ubirajara Tavares, o Bira, que teria uma rixa antiga com o policial civil Paulo César Fernando de Abreu, baleado durante o ataque. O delegado garante que vai pôr os malencarados atrás das grades logo, logo.

O policial civil que levou o balaço no bucho foi medicado no hospital Santa Inês na noite do tiroteio, e recebeu alta ainda na segunda-feira. Ele não precisou fazer cirurgia, mas permanece em repouso.

Sem reforço na DP

Apesar de apenas dois policiais tramparem nos plantões da noite e fim de semana da delegacia, o delegado Ademir Serafim afirma que não é necessário reforçar o efetivo por lá. “Não tem cabimento botar 10 policiais na delegacia cuidando de policiais. A polícia tem que estar na rua fazendo o trabalho investigativo”, considera o delegado. Pro dotô, o ataque do bando foi uma ação isolada.

O delegado lembra que o município recebeu, no mês passado, um reforço de 20 policiais civis, incluindo homisdalei do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic) e por isso não é necessário pedir mais tiras. “Não tem falta de segurança na delegacia”, completa o dotô.

  •  

Deixe uma Resposta