• Postado por Tiago

INTERNA_13_abre_carteiro-thiago-navegantes_foto-luz-clarita

Thigo é o carteiro do Pontal e diz que sofre barbaridade com a bagunça

Leitor reclama que a identificação das ruas do centro de Navegantes tá a maior bagunça. Ele, que pediu pra não ser identificado, alega que por conta da zona tá deixando de receber correspondências pelos Correios. O DIARINHO foi conferir a choradeira e acabou descobrindo que o bicho é mais feio do que pintou o leitor. Praticamente em toda a cidade há problemas com falta de placas, nomes de ruas errados ou que nem mesmo constam no mapa da prefeitura.

Dilma Marqueti, gerente da agência dos Correios dengo-dengo confirma a bagunça e também reclama das dificuldades enfrentadas no trabalho de entrega das cartas. Funcionária dos Correios há 23 anos, Dilma já trampou em Blumenau, Ilhota e Gaspar. Mas é em Navegantes, diz, onde viu os carteiros passarem mais trabalho.

Outra dificuldade é quando a prefa troca o nome da rua, mas mantém a placa antiga no local. Imagine a confusão. O pior é que os Correios nunca receberam ofício da prefa comunicando a troca de ruas. Segundo o engenheiro da secretaria de urbanismo, Felipe Celso Rodrigues, o pessoal da secretaria tá ligado no envio dos ofícios mas este ano ainda não houve nenhuma troca.

Becos

Um dos problemas da cidade é a grande quantidade de vielas e becos. A maioria, ressalta a gerente dos Correios, não tem identificação oficial. Os próprios moradores inventam um nome e enfiam uma placa no começo da ruela. Com isso, em cada beco as casas têm uma sequência de numeração diferente. Como a identificação desses becos não é oficial, as cartas e boletos acabam chegando com o nome da rua principal e o número da casa, sem identificar o beco.

Thiago Vagner Santos de Souza, 23 anos, é o carteiro do bairro São Pedro, o Pontal. Conta que um mesmo beco tem três nomes usados pelo moradores do bairro. Uns usam beco do Comar, outros do Olavo e ainda tem os que o identificam como beco do Tonico. O engraçado é que não existe nenhuma placa na viela e o carteiro tem que sivirar pedindo informações pro pessoal.

Numeração errada é pé no saco

A numeração errada das casas é outro pé no saco para os carteiros. O povão não colabora e deixa de procurar a prefa para solicitar a identificação. Casas sem números, números que não seguem a regra de lado par e ímpar e ainda ruas que têm três casas com numeração igual, como ocorre na Miguel Pivatto, no Pontal, exemplifica o carteiro Thiago.

Renata Dioni Neves, auxiliar administrativa da secretaria de urbanismo, explica que o povão deve requerer o número da casa na prefeitura, lembrando que a numeração segue uma série de normas. Para isso é só levar a cópia da escritura e a certidão negativa do IPTU, que pode ser tirada na própria prefeitura. A solicitação só tem custo pra quem mora em rua calçada. A taxa custa R$ 23.

90% das ruas têm algum problema com identificação, admite secretário

A falta de planejamento e organização na identificação de ruas em Navega já é problema antigo, diz Jonas de Souza, secretário municipal de governo. O bagrão conta que no início do ano os sabichões da prefa fizeram um estudo pra verificar o estado da sinalização da city. O resultado foi desanimador: quase 90% das ruas têm algum problema com a sinalização de placas.

Para tentar reverter esta situação, Jonas informa que um projeto de lei, de autoria do prefeito, foi aprovado pelos vereadores. A ideia é que uma empresa particular arque com as despesas da fabricação e da instalação das placas e possa usufruir de propagandas que serão colocadas nelas. ?Como estamos com uma dificuldade financeira enorme, tivemos que usar da criatividade?, sigaba o secretário. Jonas calcula que até o mês que vem o processo de licitação já esteja concluído.

Como ajudar no trabalho dos carteiros

? Atualize seu endereço quando o nome da rua for trocado ou quando mudar de endereço

? Compre uma caixa de correio

? Mantenha cachorros em coleiras ou longe da caixa do correio

? Coloque a numeração oficial em casa

  •  

Deixe uma Resposta