• Postado por Tiago

Tem meganha que não deixa de combater o crime nem nas horas de folga. Um milico à paisana grampeou na tarde de sábado um chinéli acusado de meter a mão grande na loja de eletrodomésticos Volpato, do centro de Camboriú. O abobado deu sopa e na frente do tira negociou um celular que tinha sido surrupiado de dentro do comércio. Eita!

O policial militar, que não teve o nome revelado, fazia compras no mercado Tropical quando estranhou a ação de João Rodrigo Gasperi Richeter, 21 anos. Viu o garotão tentando vender por 100 pilas um celular chicoso, avaliado em R$ 900. Desconfiado da atitude do rapaz, o policial passou a perseguir o sujeito. Encontrou o acusado e um colega batendo um papo perto do ginásio.

Pra não perder o flagrante, chamou os colegas que estavam de serviço pra dar o atraque. Assim que viram a baratinha, os rapazes siscafederam como o diabo foge da cruz. Depois de muito correr, João foi detido. Com ele foi encontrada uma mochila recheada com seis notebooks novinhos.

Como a história tava muito mal contada, os tiras deram um pulo na casa do suspeito, na rua João Gasperi, e encontraram nove celulares novinhos e modernosos, guardados na gaveta do armário. Os produtos eletrônicos eram parecidos pacas com os furtados na noite anterior de dentro da loja Volpato.

O gerente da empresa foi acionado e reconheceu as traquitanas como sendo pertencentes à loja. Com isso, João foi mandado pra trás das grades. Seu camarada desapareceu depois do atraque.

Furto a loja

A Volpato foi atacada pela vagabundagem na madrugada de sábado. Uns putos de plantão arregaçaram a porta da frente e surrupiaram 16 celulares e seis leptops. Fugiram sem permitir que o alarme da loja fosse disparado.

  •  

Deixe uma Resposta