• Postado por Tiago

INTERNA-POLÍCIA-CINCO-ABRE-p---acidente-barra-norte-banana-boat-(4)

Coitado tava passando o final de semana na casa do pai em Balneário

Apolícia Civil e a Marinha abriram inquérito pra investigar se rolou imprudência no acidente que provocou a morte do motorista Sandro Bilha, 22 anos. Ele passou dessa pra melhor no início da noite de domingo, depois de ter caído do Disco Boat, um brinquedão que faz a alegria dos turistas nas águas de Balneário Camboriú. A família do rapaz acha que a lancha que carregava a boia gigante a reboque tava abusando da velocidade, e acredita que isso tenha provocado a tragédia.

Sandro tinha vindo de Joinville, onde tava morando, pra passar o fim de semana com o pai no bairro das Nações. O tio dele, Claudemir Bilha, conta que o passeio no Disco Boat foi combinado com familiares e amigos. Foi tudo bem até o fim da voltinha, quando o motora da lancha teria feito uma manobra radical. ?Ele deu um cavalinho de pau, o disco levantou voo e todo mundo caiu?, diz.

Por uma triste coincidência, a esposa de Sandro, que tava na areia, assistindo tudo, fotografou o exato momento em que a boia voou no ar. ?A gente calcula que ele tenha caído de uns 10 metros de altura?, diz o tio.

Não se sabe se Sandro foi acertado sem querer por algum dos companheiros, ou se o impacto com a água foi muito grande, mas assim que rolou a queda, o pobre começou a gritar de dor. ?Ele dizia que não tava bem. Mas o pessoal da lancha se preocupou primeiro em desvirar o brinquedo, e só depois recolheram todo mundo?, afirma Claudemir.

O moço foi levado de lancha até a praia, e recebeu os primeiros socorros dos vermelhinhos. Um amigo dele, Eduardo de Oliveira, 21, também teve uma suspeita de ter machucado a coluna, e os dois foram levados pro Santa Inês. ?Quando chegaram no hospital e perceberam que ele tava morrendo já era tarde?, conta o tio. Eduardo foi atendido e passa bem.

O corpo de Sandro foi recolhido pelo Instituto Médico Legal (IML) e depois liberado pra família. O coitado deixou a mulher e uma filhinha de cinco anos. Ele foi enterrado em Joinville ontem à tarde. ?A gente não sabe se vai responsabilizar alguém, mas a velocidade era demais. Tem que evitar que isso aconteça com outras pessoas?, disse Claudemir. A causa da morte foi um rompimento do baço do rapaz, que provocou uma hemorragia interna.

Dono do disco foi ouvido

O delegado Fábio Moreira Osório, de Camboriú, que tava de plantão do domingo à noite em Balneário, diz que o dono do brinquedão, que não teve o nome divulgado, procurou a depê pra registrar a desgraça. ?Ele se prontificou a ajudar, não se isentou. Aparentemente foi um acidente?, comentou.

O caso ficou nas mãos do delegado Jorge Schlosser, que abriu um inquérito pra apurar se rolou algum tipo de negligência. ?Já foram tomadas algumas providências. Mas ainda é muito prematuro pra me pronunciar sobre o que aconteceu?, disse. As bizolhadas têm 30 dias pra ficarem prontas. Os responsáveis pela boia gigante não foram encontrados pra comentar a morte do rapaz.

  •  

Deixe uma Resposta