• Postado por Tiago

A instituição Lar da Criança Feliz lançou na semana passada o projeto Cidadania Socioambiental: Multiplicando Sonhos. O programa capacita, através de oficinas pedagógicas e ecopedagógicas, crianças e adolescentes carentes, atendidos pela instituição, aplicando as atividades também no Lar Padre Jacó, ambos de Itajaí.

O objetivo do programa, que começa no dia quatro de agosto, é desenvolver a autoestima das crianças, assim como construir sonhos individuais e coletivos, identificando a importância dos recursos naturais para a sustentabilidade do planeta Terra.

A Associação de Surf Praias de Itajaí (ASPI) entrou no projeto como entidade parceira. Eduardo Alexandre dos Santos, o Duka, diretor de meio ambiente da associação, que trabalhou mais de dois anos no Lar da Criança Feliz, é um dos precursores do projeto e coordena o Socioambiental. “A ASPI acredita que o exercício de cidadania é o caminho mais curto para a transformação da sociedade itajaiense”, explica, citando que a entidade tá dando um suporte para o projeto.

Duka diz que a missão do Cidadania Socioambiental é desenvolver a consciência das crianças e adolescentes para as questões sociais e ambientais, despertar a compreensão de que só se melhora uma vida, um bairro, uma comunidade, uma cidade, por meio da transformação individual e coletiva.

Jovens têm oportunidade de crescer

Os 20 adolescentes que vão participar do projeto terão uma boa oportunidade de crescimento. Isso porque a intenção é que cada aluno que se forme seja monitor em outras instituições. “Queremos capacitá-los cada vez mais. Lógico que eles não vão ter condições sozinhos, mas com supervisão isso pode acontecer”, explica Duka. Depois de todo um treinamento técnico, a alunada recebe até diploma.

Na próxima segunda-feira, três alunos, com idade entre 13 e 16 anos, vão receber a capacitação do projeto. O diretor também esclareceu que apenas três adolescentes tão se formando agora porque, na maioria das vezes, alguns jovens são adotados ou voltam pra suas casas, não tendo mais contato com as instituições.

Quem estiver fazendo parte do projeto também conta com saídas de campo pra animar a galera. Dois sábados por mês, os alunos saem para aprender fora da sala de aula.

  •  

Deixe uma Resposta