• Postado por Tiago

INTERNA_abre-direita_aluguel-casa-itajai---Foto-Felipe-VT-03Moradias baratas são as mais procuradas em Itajaí

Investir em imóveis para alugar será uma das boas opções em 2010 pra quem tem um dinheiro sobrando. Apesar do índice geral de preços de mercado (IGPM), que é usado como base para reajustes de locações, acumular queda de 1,64% este ano, em Itajaí os preços de aluguéis se mantêm estáveis e a tendência é que haja mais procura do que oferta de casas e apartamentos. ?Itajaí sempre apresentou déficit residencial e embora tenha aumentado a oferta de imóveis na região, ainda não tem suprido a procura?, afirma a Suzete Correia, dona da Benge Imóveis, especializada em aluguéis.

A impressão de Suzete se confirma nas estatísticas da administração municipal. O prefeito Jandir Bellini (PP) informa que os cadastros da secretaria de Habitação registram aproximadamente sete mil famílias que buscam um lugar para morar. Mas Bellini acredita que o déficit seja ainda maior. Pelo menos outras três mil famílias também precisariam de casa própria em Itajaí.

Não é por nada que moradias mais simples são apontadas como as mais procuradas para locação. ?Observa-se que o público que mais busca locações é o das classes B e C, que ainda não teve a oportunidade de adquirir o imóvel próprio?, diz a empresária.

Vila, centro e Brava são os mais valorizados

Se você gostou da dica, então lá vai mais outra. Em pelos menos três bairros da cidade a valorização dos aluguéis foi nos cornos da lua. ?Destaca-se a Vila Operária, onde nestes últimos tempos a construção civil investiu pesado em vários empreendimentos?, afirma Suzete. A Praia Brava e o centro seriam as duas outras regiões onde o mercado de locação de imóveis residenciais tá bombando.

Para se ter ideia dessa valorização, o aluguel de uma casa de alvenaria com três quartos, sala, dois banheiros, área de serviço e garagem num desses bairros pode variar de R$ 2 mil a R$ 3 mil. Um apezinho simples, com dois quartos, sala, cozinha e um banheiro chega a custar R$ 1500.

Se o imóvel fosse na Murta, a região de Itajaí considerada com maior desvalorização, o aluguel de uma casa com as mesmas características custaria algo em torno de R$ 800 e de um apê uns R$ 500.

De uma quitinete úmida e empoeirada prum apêzinho confortável e seguro

Cida hoje está no São Judas. Mas já morou em lugar que considerava sinistro

Maria Aparecida Ricobom, 47 anos, conhece muito bem o mercado de locação de imóveis em Itajaí. Há 17 anos mora de aluguel e há três paga uma quitinete na rua José Tedéo, no bairro São Judas, onde vive com o marido. O aluguel, revela, abocanha hoje 40% do orçamento do casal. ?Se comparar com os outros preços do mercado, o valor é justo, porque já estão incluídas as despesas com água e eletricidade, mas, se comparar com o que come do salário da gente, aí é caro?, observa.

INTERNA_13_abre_aluguel-casa-itajai---cida-ricobom---Foto-Felipe-VT-02

Cida, como é conhecida, considera que o São Judas é um dos melhores bairros pra quem procura casas pra alugar. Mas nem sempre teve a sorte de morar onde lhe agrada. ?Há alguns anos fui morar num lugar muito sinistro, nos Cordeiros. Era uma quitinete muito ruim e mal feita?, lembra.

Pra piorar a situação, a rua não era calçada e a poeira invadia todo o pequeno apartamento, que sofria com umidade. Cida também considerava o local perigoso. ?Morei quatro meses lá. Chorava todos os dias. Aí, não agüentei ficar mais?, relata. Nas pesquisas que fazia quase que diariamente por um outro local pra morar, acabou achando achando a quitinete onde mora hoje. ?Aqui no São Judas é ótimo. Muito tranquilo. Na minha a rua a maioria é de aposentados?, diz.

Toda essa experiência como locatária capacita Cida a dar dicas pra quem precisa morar de aluguel. ?Antes de fechar o contrato, você tem que observar o bairro, a rua em que irá morar e conhecer os vizinhos?, ensina. Ela faz questão de dizer que a tal observação que propõe não é preconceito. Com a olhada mais a fundo, quem procura um lugar pra morar vai ter noção da qualidade dos serviços da região, como comércios, bancos e farmácias, e até da higiene e do saneamento básico do bairro, além do fator segurança, que é um dos maiores problemas que a cidade enfrenta.

Outra dica é procurar casas e apartamentos que ficam próximos ao trabalho. ?Isso ajuda a diminuir as despesas com transporte?, explica. ?Aqui onde moro, posso ir ao centro a pé. Daí, além de fazer bem à minha saúde, ainda economizo muito?, exemplifica.

Advogado ensina como locador e locatário podem evitar dores de cabeça

O advogado Fábio Fabeni atua há anos no direito imobiliário. ?Esse é um dos ramos do direito mais complicado?, afirma. Exemplos não faltam pra mostrar o quanto é confusa a relação entre locatário e locador, que é o dono do imóvel. Inquilino que abandonou a casa, botou a chave na caixa do correio do locador e praticamente saiu fugido e dono de imóvel que perdeu as estribeiras, invadiu a residência, encheu o locatário de porrada e o jogou na rua com todos os móveis são alguns dos casos que Fábio acompanhou. ?Teve um inquilino que deixou um cartaz do Grêmio na parede e quando o locador foi retirá-lo havia um buraco enorme da parede, como se houvesse um cofre lá?, lembra ainda.

É por isso, ressalta o advogado, que tanto inquilino como senhorio devem prestar muita atenção na hora de selar o contrato. Preferencialmente, sugere, que se procure fazer o negócio através de uma imobiliária. ?Essa é uma relação muito pessoal, que pode acabar dando problemas depois. Por isso, com uma imobiliária intermediando, locador e locatório podem evitar muitas dificuldades?, diz.

Pro dono do imóvel, uma das dicas de Fábio é investigar se a pessoa que quer alugar a casa ou apartamento tem o nome limpo na praça. ?Se o pretendente tem o nome bloqueado nos serviços de proteção ao crédito, o proprietário pode e deve se recusar a alugar o imóvel, porque já se presume que a pessoa não vai pagar?, avalia. Fábio diz que uma ação de despejo, em Itajaí, pode levar de um a dois anos para ser caneteada pela dona justa.

Outra atenção que o locador deve ter é com o termo de vistoria de entrada e saída do imóvel. ?O caso do cartaz do grêmio mostra bem como isso é importante?, ressalta. O dono da casa ou apê deve listar tudo o que puder e as condições em que entregou o imóvel. Quando o contrato estiver sendo encerrado e pouco antes do inquilino sair, deve levar a lista do termo de vistoria e checar item por item.

Esse cuidado, diz Fábio, vale também para o locatário. Infiltrações, fiação de telefones comprometida, goteiras, redes elétrica e hidráulica sem funcionar, tudo isso pode acabar em dor de cabeça se o inquilino não identificar antes de ocupar o imóvel.

Atenção redobrada com o índice de reajuste de aluguéis. O mais usado, lembra o advogado, é o índice geral de preços de mercado, o famoso IGPM. Reajustes com base em moedas estrangeiras, como dólar e euro, e pelo salário mínimo são proibidos e não devem ser aceitos pelo futuro inquilino. ?Eles não tem validade e podem ser anulados, mas para isso será necessário o locatário entrar na justiça?, alerta Fábio.

  •  

Deixe uma Resposta