• Postado por Tiago

Os negócios de uma família que trampava pro capeta, no bairro São Paulo, em Navega, foram melados pela puliça militar no final de semana. O mini-traste M.S., 16 anos, foi grampeado com 18 pedrinhas de crack. Ele é irmão do trafica Claudinei de Souza, o Claudão, preso um dia antes por andar vendendo porcarias.

Os meganhas chegaram ao moleque através de denúncias. Apesar do Claudão estar atrás das grades, a porcariada continuava correndo solta pela rua Vereador José Frederico de Souza, no São Paulo.

Eles ficaram de butuca e conseguiram flagrar o entra-e-sai de viciados em uma das baias da rua, e identificaram M.S. como o dono da boca. Os meganhas deram um bizú no terreno ao redor da casa e encontraram um pote recheado com 18 pedras de crack. Com o dimenor foram achados R$ 128 em dinheiro miúdo e um celular, usado pra negociar a droga. O aborrescente foi levado pra depê pra sisplicar.

Haja porcaria

O mercado de porcarias também levou desfalque em Balneário Camboriú e Cambu. Os primeiros a cair nas garras dos milicos foram V.S., 18 anos, J.P., 10, e um dimenor de 17. Eles tavam na rua 2200, centro da Maravilha do Atlântico, quando foram guentados.

A puliça parou os malacos pra dar uma geral, por volta das 22h de sábado. Apavorados, eles largaram um pacote no chão. Os puliças acharam a sacola, que tinha 18 pedrinhas do capeta. Os três acabaram na delegacia. Em Cambu, um trafica tanso caminhava pela rua do Empreendedor, no Cedro, com um pote na mão, e tava quase chegando perto de uma motoca da puliça quando sitocou da cagada que tava fazendo. Com ele foram encontradas oito pedras de crack.

  •  

Deixe uma Resposta