• Postado por Tiago

Em Itapema, Penha e Piçarras comerciantes e trabalhadores ainda estão de birra e não acertaram quando começa e como vai ser o horário especial de Natal. Em Balneário, o acerto já é feito através da convenção coletiva de trabalho entre patrões e empregados e por isso não tem confusão.

O problema de Penha e Piçarras, informa Paulo Ladwig, presidente do sindicato dos Empregados no Comércio de Itajaí e Região, é com o trampo nos domingos. Os lojistas estão querendo abrir aos domingos e parte dos comerciários quer reservar o dia pro descanso com a família. “Em Piçarras deveremos acabar cedendo, porque a cidade tem uma característica muito parecida com Balneário Camboriú”, afirma o sindicalista, ressaltando a grande quantidade de turistas que curtem a praia das Piçarras e bombam o comércio local, principalmente nos finais de semana.

A briga é mais feia em Itapema. “Vamos pra dissídio coletivo, sentar na frente do juiz pra resolver”, diz Elis Margarete da Luz, funcionária da câmara de Dirigente Lojistas. Outubro é a data-base do comerciários, época do ano quando trabalhadores e patrões negociam o piso da categoria e a jornada de trabalho, inclusive nas datas especiais como o Natal. Em Itapema, patrões e trabalhadores estão de bico. Como ainda não se acertaram, dia 19 terão uma audiência na Justiça do Trabalho.

Mais espertos

Pra evitar confusões como estas, comerciários e lojistas de Balneário Camboriú acertam os horários estendidos, como o de Natal, na própria convenção coletiva, assinada todo mês de maio. Na maravilha do Atlântico, a partir de dezembro e durante toda a temporada de verão, as lojas abrem às 8h e podem ficar abertas até à meia-noite. No Natal, todo mundo de porta fechada. No 1º do Ano, como a ressaca é grande, o comércio pode abrir somente a partir das 15h.

  •  

Deixe uma Resposta