• 28 ago 2009
  • Postado por Tiago

Provesi bateu o martelo!

O reitor da Univali, José Roberto Provesi, foi visto ontem na churrascaria Ataliba, de Itajaí, conversando com o vice-governador atucanado Leonel Pavan (PSDB). Após um bate papo sobre tudo e todos, Pavan e Provesi se abraçaram com a certeza de um projeto de sucesso.

O PSDB lhe dá asas…

Segundo os linguarudos de plantão, que não são poucos, Provesi se decidiu pelo PSDB. Sua filiação deverá acontecer na próxima semana, antes da viagem que fará à Itália para assinaturas de convênios com a universidade de Bologna.

Ver de pertinho

O ex-senador Jorge Bornhausen e o senador Raimundo Colombo (ambos DEM), acompanhados do homem dos galináceos Jandir Bellini (PP) e da vice-prefeita que também é secretária da Saúde de Itajaí, estiveram fazendo uma visita ao porto que tanto tem custado paz, trabalho e saúde ao nosso povo.

Na Maravilha

Raimundão e Jorgim, também esticaram a canela na casa do povo da praia mais desejada do sul do mundo e durante o bordejo foram ciceroneados pelo vereador da sigla, Orlando Angioletti. Colombo permanece até esta sexta na região. Há quem diga que veio para fortalecer a penca, ops, tríplice aliança na região. Humm…

Barrigudo do jornaleco?

Fico com a alma embevecida ao escutar tantos elogios como os que teriam sido proferidos, segundo os linguarudos de plantão, pelo superintendente da Fundação Cultural de Itajaí, em uma reunião do Conservatório de Música, ao saber de linhas desta humilde página. Agê não teria gostado de alguns comentários explanados.

Junto e separado…

Tudo por conta de uma viagem ao Rio de Janeiro, em companhia do ex-superintendente Antônio Carlos Floriano, pra contatar sabichões pra tocar o festival de música. Agê teria dito na reunião, pra um monte de zovidos, que este que ora é lido pelo leitor, era “um barrigudo e seu nome não deveria constar num jornaleco”.

Sartou fora ou…

As línguas afrouxadas da orla cultural alardeiam nos sensíveis zovidos deste temente ao Altíssimo que o Antônio Carlos Floriano teria sido discretamente ‘afastado’ de dar pitacos e ajudar (?) no comando da Fundação Cultural. Será que será?

Alvoroçou tudo

O anteprojeto de lei que regulamenta de 120 para 180 dias a licença maternidade das barnabés municipais é de autoria do vereador desassossegado Luis Carlos Pissetti (DEM). O intuito foi pedinchar a adequação ao decreto da lei federal para as servidoras. Lei, aliás, que foi abarcada pelo ex-aquário peixeiro.

Num entendo!?

É de estranhar a atitude, por exemplo, da Susi Bellini (PP), que como muié e mãe deveria se atentar pra importância da presença da genitora com o pequerrucho, do tempo de amamentação e cosa&losa. O bigodudo Laudelino Lamim (PMDB) tem que separar essa coisa de ser governo e pensar mais nas servidoras.

Arrependeram-se?

Até porque a dupla de excelências excelentíssimas aprovaram o anteprojeto que foi encaminhado pelo gorducho Pissetti e agora que o Níkolas cobra o “cumé que é, cumé que fica”, eles fazem de conta que não é com eles!? Para, né!!

Chororó danado

Aliás, a Elianinha do sindicato dos servidores da região já esteve no paço da Vila Operária e cobrou do burgomestre JB. A alegação pra ação não acontecer é que tem a lei de responsabilidade fiscal, que fica difícil colocar outra servidora nestes dois meses, entre outros chororós. Assim não dá! Assim não pode!

Receba a carta…que lhe dou…

O chefão da Secretaria da (in) Segurança de Itajaí se sente ofendido quando tocam no seu nome. Basta citar o Carlos Ely e tocar-lhe uma crítica que o homi manda cartinha detonando. Com isso, tem gente no governo achando que tem muito blablablá e pouca efetividade. Pode mandar outra carta, Ely!

Porto Já!

Os técnicos do TCU tocaram o dedão grosso na ferida. Tá mais do que na hora dos sacrossantos do Teconvi esticarem a mão e puxarem pelo bolso para pagar a parte que lhes cabe. Por contrato já deveriam ter feito um monte. Inclusive, ter um bom seguro. Mas como a grana pública aparece, os tristes não se coçam…

Acorda Jandir!

Daí que o homem dos galináceos, Jandir Bellini (PP), e o padre, ops!, superintendente do Porto, Antônio Ayres, têm que fazer valer a força das suas canetas e mandar o Teconvi se estrebuchar nas suas obrigações. Não se pode ficar só no amém, amém e amém… E ao nosso reino não venha nada…

No mundo da lua?

Não dá para entender o dotô Maurício Eskudlark, que do alto de suas penas emplumadas diz que em Navegantes e em Itajaí o problema da violência não é lá tão preocupante. Deve ser porque do seu escritório, com o ar-condicionado a toda, na capital, ele não consiga ver ou escutar muita coisa. Haja paciência!

Coisa cíclica

O mais triste é que as otoridades da área de segurança apareçam com a promessa de se coçar quando a situação está insustentável, como o que vem acontecendo na capital da pedrada e do tiro ao vereador, Camboriú. Agora, posso não ter lá muita fé, mas espero que não seja como na Maravilha do Atlântico. Um dia, dois e somem…

Agora, vai!

Quem sabe, agora, deslanche de vez o time do Marcílio Dias sob a presidência do Abelardo Lunardelli. O mais importante é a sua proposta de transparência, de colocar na mesa a situação esmiuçada para que todos tomem ciência de tudo e mais um pouco.

Dinovo

É de se lamentar essa situação vivenciada pelo homem pássaro, prefeito Edson Periquito (PMDB). Vira e mexe e sua saúde preocupa. O pior é que fica tudo escondidinho. A população tem que ser informada. Será que Periquito não tá aguentando o repuxo medonho?

  •  
  • Categorias: JC

Deixe uma Resposta