• 31 ago 2009
  • Postado por Tiago

Água fervente (ui!)

O caldeirão tá fervendo na Casa do Povo da Maravilha do Atlântico Sul. Tudo por conta de evento da Emasa que aconteceu há pouco tempo. Tem vereador que quer saber quem foi que contratou a festoca da empresa de água & esgoto pra entrega de uma ordem de serviço. A agência de publicidade Tatticas ou a Obregon Eventos?

Cabo de guerra aquoso

O vereador BicuDão Koedermann (PSDB) quer, por exemplo, estas benditas explicações. Já a vereadora bonitona Christina ‘Pink’ Barrichello (PPS), quer saber tudinho: desde quando a Tatticas presta serviços e a papelada assinada lá atrás. E se for em 2006, 2007 e 2008, a muié quer botar o bagão pra bizolhar.

Asas internacionais

O deputado estadual Debinha Malvadeza (PMDB), teria solicitado ao Fórum Parlamentar Catarinense e a superintendência da Infraero agilidade no processo de “construção” do aeroporto internacional de Navegantes.

Antes tarde, do que…

A prefa de Brusque foi condenada a pagar diferença salarial de 12%, que foi concedido há cinco anos. O aumento foi firmado em 2004, e seria estrebuchado através de parcelas nos meses de maio, junho e setembro daquele ano.

Se encagaçou

O então prefeito Ciro Roza (DEM) – onde andará? – candidato à reeleição ficou com medo de se tornar inelegível, por causa do período eleitoral. Os barnabés procuraram a dona justa que reconheceu o pleito e garantiu o direito. Com isso quem vai ter que se coçar é o atual alcaide Paulo Eccel (PT).

Referência para o país

Se os nossos políticos e demais gestores públicos deixarem suas vaidades de lado e pensarem na cidade e no futuro, o Conservatório de Música de Itajaí, tem tudo para num futuro muito próximo ser uma escola modelo para todo este nosso Brasilzão.

Apoio da Unicamp

A grade curricular foi montada pela Unicamp com o apoio da Câmara setorial de Música de Itajaí. Depois de uma porrada de reuniões, vieram professores coordenados pelo Dr. Rafael dos Santos que é professor de mestrado e doutorado pra realizar as provas com os professores de Itajaí. Isso no início de 2007.

Convênio em qualquer área

Todo esse trabalho resultou num baita convênio que pode ser utilizado em qualquer área, e não apenas na música. Mensalmente, dois professores vêm a Itajaí para ministrar aulas. Tudo isso e mais um pouco poderia ser melhor aproveitado se a Fundação Cultural tivesse real interesse na sua manutenção.

Custo baixo

O valor do convênio, hoje, é de R$ 50 mil ano – estamos pagando R$ 3,5 mil/mês pra guardar roupa podre-, incluindo passagem, hotel, alimentação e pagamento das aulas, além da coordenação do Dr. Rafael. Infelizmente, por desinteresse da Fundação Cultural, o mestre não veio nem uma vez à Itajaí, este ano. Já o superintendente Agê Pinheiro foi duas vezes ao Rio de Janeiro…

Interesses próprios

Desde a criação do Conservatório, o Festival de Música tem sido pensado e organizado em parceria. Já este ano, quem foi contratado para produzir o Festival foi o Antônio Carlos Floriano (que já saiu fora), que não quis nem saber. Não quis papo. Floriano teria chegado ao cúmulo de rasgar um documento que lhe foi entregue. Na maior caruda.

Jogaram pedras

O triste de todo esse enredo é que segundo as línguas afrouxadas de plantão, o respaldo viria do chefe de gabinete do alcaide JB, professor Edson D’Ávila. E que teria sido dele a iniciativa de convocar uma reunião, onde foram convocados comissionados da secretaria de Turismo e Fundação Cultural pra tacar pedras.

Gritaria maluca

Na bendita reunião, onde segundo as línguas culturais, foi comandada pelo superintendente Agê Pinheiro, a diretora da Casa da Cultura, Ane Fernandes. Teria sido um encontro pra lá de tenso, onde pipocou gritos histéricos e não se chegou a lugar nenhum. Não captaram nada. Perderam o prazo do festival. Uma lástima pra nossa gente e nossa cultura. E o prefeito dorme de touca?

Cavalo gordo…

É a velha, surrada e sofrida história. O ex-prefeito Volnei Morastoni (PT), com toda aquela estrutura medonha acabou caindo do cavalo. O homem dos galináceos, Jandir Bellini (PP), cercado de áulicos que lhe dizem o quer ouvir e não o que necessita, vai acabar, também, caindo do cavalo…

Batendo no cabide?

O senador Raimundo Colombo que é um pré-candidato à cadeira estofadinha, ocupada atualmente pelo bigodudo LHS, na semana que passou instado respondeu que as Secretarias Regionais são na verdade um baita cabidão. Critica que lascava no passado, antes de embarcar na penca, ops, Tríplice Aliança. Hummm…

Uma semana e…

Faz uma semana que o PMDB desembarcou no governo da Bellinilândia. E ainda não aconteceu nada de diferente. A não ser o que já vinha sendo sentido nos corredores do ex-aquário peixeiro, que é a bancada peemedebista aliada aos pleitos, interesses e nuances governistas. De resto nadica de nada.

Preferia o Exército

O Saul Airoso, no Entrevistão de sábado, ao ser sabatinado pelos intrépidos jornalistas do DIARINHO, lascou que sua preferência pra reconstrução dos dois berços detonados na enchente que preferia que o Exército fizesse a obra. Aí não teriam interesses de lá ou de cá?

  •  
  • Categorias: JC

Deixe uma Resposta