• 30 jan 2010
  • Postado por Tiago

JC---Meus-documentos-056

O escriba barrigudo acompanhou o chefão do Semasa, Flavinho Farias, numa vista às estações de tratamento, reservatórios e canos enfins. Programa pra lá de aquoso na quente sexta-feira. Tudo pra saber o que o Semasa tá fazendo e ninguém tá vendo

Se estrebuchando

O superintendente do Semasa, Flavinho Farias, tá fazendo. E, como bom mineirinho que é, vem levando tudo na base do come quieto, sem alarde. Ontem, convidado, este socadinho escriba visitou as estações de tratamento onde estão sendo levadas a cabo importantes obras pró-abastecimento da terra peixeira.

Baitas reservatórios.

São investimentos da ordem de milhões de reais que irão elevar a capacidade de tratamento dos atuais 750 litros por segundo pra 1250 litros. Além disso, novos reservatórios estão em fase de finalização, o que fará com que o sistema possa dispor de 16 milhões de litros.

Canos avançando

O aumento da capacidade de reserva de água em Itajaí significa pensar no agora e no futuro. Grande parte dos problemas da falta de água na cidade, principalmente nesta época, é decorrente do gasto e avanço do consumo decorrente do aumento da temperatura. A turbidez do rio, devido às chuvas, também causa dificuldades no tratamento e, consequentemente, na oferta do precioso líquido.

Desafio constante

Com esse estrebuchar de trabalho, na questão do tratamento e reserva e no avanço das obras de esgoto, a cidade não só vai ter água boa, como um aumento da qualidade de vida. O que é necessário e imprescindível. E o Flavinho tem se desdobrado pra enfrentar este desafio constante.

Adutoras

Afinal, as instalações em operação que já tiveram baita melhoria são da década de 70, quando a dona Casan mamava e não investia nadica de nada. O Semasa já instalou mais de 33 quilômetros de adutoras, interligando a estação de tratamento do São Roque com outros bairros.

Tá amarrado!

Segundo as línguas afrouxadas de plantão, o gorducho presidente da casa do povo, Luiz Carlos Pissetti (DEM), vai cobrar de público o compromisso do prefeito Jandir Bellini (PP) com o legislativo no tocante à construção da nova sede, que deve ter a sua pedra fundamental lançada em junho, no níver de Itajaí.

Escuta aqui!

Até porque, em 2009, o ex-aquário peixeiro tinha direito a R$ 15 milhões, não usou tudo, fez um monte e ainda deixou de pegar R$ 4 milhões. Agora, a grana vai ser mais curtinha. Este ano serão R$ 12 milhões de repasse do duodécimo, que baixou de 7% pra 6%. E esse ?escuta aqui? do P7 vai rolar já na primeira sessão.

Só em cima

O PP garante que vai cuidar da sua vida e priorizar a candidatura à majoritária estadual. A deputada federal, Ângela Amin diz, com todas as letras, que está à disposição pra ser pré-candidata à governadora. Já o PT, sob o comando da senadora Ideli Salvatti, também afiança que a muié é cabeça de chapa. Que dor!

Mussarella!

A secretária de Desenvolvimento Social, Rosane Casas, tá eufórica. Pela segunda-vez consecutiva a empresa Cedrense doou pra Itajaí, 13 toneladas de queijo e iogurte. No dia 28 de dezembro, a empresa quis doar pra Itajaí e outros municípios, que não quiseram. O povaréu recebeu pacotes com até oito quilos de queijo.

Uma pra ti, outra pra ti…

A casa do povo da Maravilha do Atlântico retorna as sessões na semana que vem. E já vem banalizando as benditas moções. Um monte delas serão ofertadas pra integrantes da ordem Demoley, que é um seguimento jovem da maçonaria. Nada contra e nem a favor. Só que as moções acabam perdendo seu brilho.

Orra, meu!

Sessão extraordinária das excelências de Bombinhas aprovou projeto do prefeito Maneca do Quiosque (PP) que pode alçar aos cornos da lua as horas extras de médicos que tramparem três vezes por semana. O vereador-médico Silvino (PSDB) e sua colega Fátima (PDT) bufaram com a afronta.

Sumiu a brita!

Os linguarudos de plantão contam que ano passado o secretário de Obras de Piçarras, o Rubinho, mandou espalhar brita em todas as ruas do bairro Querosene. Foi brita pra mais de metro ao custo, lascam, de R$ 380 mil. A promessa antes da campanha era de calçamento.

Eita poeira danada!

Mas dizem os olheiros de plantão que um poderoso dono de uma pedreira teria financiado com uma bela quantia a campanha do prefeito Pinguim (PP), das Piçarras. Como retribuição, a prefa compraria toda a brita necessária. Acontece que em pouco menos de oito meses não existe uma mísera pedrinha pra contar a história. E o humilde povo do Querosene continua na poeira. Cof! Cof! Cof!

  •  
  • Categorias: JC

Deixe uma Resposta