• Postado por Tiago

O vereador Jefferson Custódio nega a acusação de ter intermediado a venda superfaturada do terreno de um parente seu para a prefeitura. Ele diz que o comerciante Irapuan de Oliveira sempre o perseguiu por ser de outro partido. “Eu tenho meu escritório de advocacia, não tenho tempo para lidar com imobiliárias e topógrafo. E eu nem sou ligado ao executivo para fazer este trabalho”, defendeu-se. O tucano ainda disse que no dia da votação se retirou pra não aprovar o projeto. “Não queria que pensassem que era favorecimento pessoal”, alega.

Zaqueu Rogério Francez, secretário da Fazenda, jura de mãozinhas postas que o procedimento para a compra foi dentro da lei. Três imobiliárias apresentaram orçamento antes que a prefeitura decidisse pela compra do imóvel mais barato. “Precisamos aprovar com urgência, porque precisamos repassar 25% de verbas para a educação, e isso precisava ser para 2009”, justificou.

O abobrão ressaltou que na Santa Lídia é difícil achar imóveis com escritura e totalmente legalizados. “A maioria é só posse. E se comprarmos um somente com posse, poderíamos ter problema mais tarde com o TCE [Tribunal de Contas]. E se tem escritura vale mais”, debulha.

  •  

Deixe uma Resposta