• Postado por Tiago

E sabe quem devia fazer a contagem regressiva para a Grande Virada? A VANUSA!

BUEMBA! BUEMBA!Macaco Simão Urgente! O esculhambador-geral da República! Direto do País da Piada Pronta!

É amanhã! Prepara o figueredo! A Grande Virada! Eu vou virar abóbora. E sabe quem devia fazer a contagem regressiva pra Grande Virada? A VANUSA! Aí a gente não entrava em 2010, ficava empacado em 2009. Nesse pagode sem pandeiro!

E uma amiga vai passar a virada VIRADA PRA LUA! E como se diz em Brasília: Feliz 2010%. Ou como estão dizendo umas amigas minhas: FELIZ HOMEM NOVO! E aquelas promessas de fim de ano? Eu vou fazer uma promessa diferente: ‘Prometo que vou começar a fumar e engordar uns 20 quilos’. Rarará!

E chegou 2010. Parece ficção científica. Quando eu era menino, achava que em 2010 as cidades seriam cobertas por uma redoma de vidro e com ar-condicionado. E com um monte de carro voador. Pois já estamos em 2010 e São Paulo tá lotada de carro velho. E Capão Redondo não está coberto por redoma de vidro e nem tem ar-condicionado.

E isso é o que desejo para os meus leitores: BOAS ENTRADAS E MELHORES SAÍDAS. Porque o último que me desejou boas entradas, eu entrei pelo cano! Então: melhores saídas! E boas entradas! Só que uma amiga minha, em vez de entrar, quer ser entrada!

E o Lula disse que o brasileiro vai acordar no dia 1º com uma vida melhor. Com uma vida melhor. E um fígado pior! E sabe o que aconteceu com uma amiga no Réveillon passado? O vizinho jogou um rojão e acertou no vidro do carro dela. Rarará! E um outro aproveitou o barulho dos fogos pra soltar um pum! E a passagem de ano do Rubinho? Os outros que vão passar! Rarará! E eu só não desejo para todos um GRAAAANDE 2010. Com medo de que a gente não consiga chegar até o final!

E todo ano eu faço o mesmo pedido para a nação brasileira: Feias, Bagulhos e Mocréias, evitem a praia. Senão o Ano Novo se assusta e não entra! Dilma e Serra passem o Réveillon no escuro, pelo amor de Deus. Assustaram o Ano Novo! Rarará! E aí a gente empaca em 2009. Nesse pagode sem pandeiro!

E quem não tiver dinheiro pra champanhe, pega um saco vazio de supermercado e estoura. O que importa é o barulho. A festa. A GANDAIA! E é isso: muita champanhe, mas cuidado com a rolha! Rarará!

E muito epocler, engov e xantinon. Porque vai todo mundo acordar mais seco que língua de papagaio. Rarará!

Nóis sofre, mas nóis goza. E hoje só amanhã!

Que eu vou pingar o meu colírio alucinógeno.

  •  

Deixe uma Resposta