• Postado por Tiago

Transferências de presos tão rolando, mas devagar pacas

O juiz corregedor do presídio, Carlos Roberto da Silva, não pretende abrir mão da decisão de reduzir o número de presos do cadeião peixeiro a no máximo 500 detentos. O corregedor aceitou em parte a proposta de transferência imediata de 30 presos, apresentada pelo departamento de Administração Prisional (Deap), e estabeleceu prazo de 10 dias para a transferência imediata dos outros 168 condenados que tão cumprindo pena no cadeião.

O juiz só se manifestou depois que recebeu o parecer do Ministério Público, que exige a retirada dos presos condenados. Com a decisão, o cadeião peixeiro permanece interditado.

O presídio de Itajaí foi interditado na sexta-feira, 13 de novembro, pouco depois de a polícia Militar e os agentes prisionais frustrarem uma tentativa de fuga.

Os bandidos tinham cavado um túnel de cerca de seis metros, que ligava as galerias ao lado de fora do presídio. Se o túnel não fosse descoberto, poderia ter ocorrido uma fuga em massa no presídio. O buraco dava acesso a mais de 500 presos deixarem as celas.

O departamento de Administração Prisional (Deap) alega que não tem condições de transferir mais de 30 presos, pois não existem vagas no sistema prisional do estado.

O assessor do juiz, Pablo Ingelez, explica que o corregedor entende que o Deap tem que transferir os presos condenados, pois não podem mais ficar no cadeião.

Depois da interdição do presídio, as delegacias de Itajaí e Navegantes começam a ficar lotadas de bandidos. Dos oito presos que tavam na cela da 1ª depê peixeira, sete foram transferidos. Já na 2ª delegacia, quatro presos aguardam uma vaguinha num presídio.

O cadeião peixeiro está com um total de 651 presos, mas o local tem capacidade para 198 detentos, o que dá uma média de 3,28 presos para cada vaga.

  •  

Deixe uma Resposta