• Postado por Tiago

Vítimas tavam dentro do táxi que foi atingido por possante

José Álvaro Machado, advogado de defesa de Lucas Ricardo Spernau, 19 anos, entrou ontem ao meio-dia com pedido hábeas corpus no Tribunal de Justiça em Floripa. A medida foi tomada depois que a juíza da comarca do Balneário Camboriú, Adriana Lisboa, negou os pedidos de liberdade provisória. O desembargador de plantão, Altamiro de Oliveira, terá 24 horas pra canetear a resposta.

Apesar do pedido do advogado, a chapa tá esquentando pro filho do ex-prefeito de Balneário Camboriú Rubens Spernau. Lucas bateu a caminhonete que dirigia em um táxi matando três pessoas na madrugada de domingo, na esquina da Terceira avenida com a rua 2000.

O promotor da 1ª Vara Criminal, José de Jesus Wagner, pretende denunciar o garotão por homicídio doloso. O promotor afirma que vai fazer a denúncia, pois entende que Lucas assumiu o risco de causar um porradaço.

Pro promotor, não há dúvidas de que o rapaz estava bêbado, mesmo que ele tenha se recusado a fazer o teste do bafômetro ou exame médico. ?Os policiais militares declararam de forma firme que ele apresentava odor de álcool e fala arrastada no momento do acidente?, disse.

Além de estar bebum, contou pra decisão o fato de o veículo estar com os faróis apagados e aparentando estar acima da velocidade permitida de 50 km/h. ?Ele é morador do município e sabia muito bem que aquilo ali não era uma via preferencial e não devia imprimir aquela velocidade?, lascou.

A decisão do promotor vai na contramão do indiciamento proposto pelo delegado do caso, Renato Mattos. Pro delega, Lucas não teve intenção de matar as três pessoas e deveria responder por homicídio culposo.

Enquanto isso, Lucas permanece preso, sob escolta policial, no hospital Marieta Konder Bonhausen em Itajaí. A quarta passageira do táxi, Karina da Silva, 22, a única vítima que sobreviveu a trombada, também continua internada malemal na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do hospital Santa Inês. Ela tem sofreu traumatismo craniano, tá inconsciente e deverá passar por uma cirurgia na cachola.

Taxista disse que tava adivinhando acidente

O taxista Rodrigo da Silva de Melo, 33 anos, praticamente nasceu dinovo. Ele deveria estar no táxi Siena, placa MDN 2149 (Balneário Camboriú), que deu perda total depois de um porradaço na madrugada de domingo, na esquina da Terceira avenida com a rua 2000. Naquela noite, ele teve um pressentimento ruim e deixou o seu carango pro Natalino Amaral Gomes, o Gaúcho, que morreu na trombada.

Rodrigo conta que na sexta-feira à noite passou mal. Começou a sentir que não era pra ir trampar no sábado. Encasquetado com a ideia, procurou seu pai, Carlos de Melo, que é dono do carro em que presta serviço. ?Tava mal, com um pressentimento ruim de que não tinha que trabalhar?, lembra. Ainda bateu boca com o papai e resolveu ficar em casa dormindo.

Como o filho não apareceu pra trampar, Carlos pediu uma mão pro amigo de 20 anos, o Gaúcho, que trabalhava no ponto durante o dia. Natanael pegou o trabalho às 15h e deveria largar o plantão às 6h, uma hora depois do horário da tragédia. Apesar de estar inteiro, Rodrigo diz que ficou muito abalado com a morte do companheiro de serviço.

Imagens das câmaras de segurança ajudaram promotor a formular denúncia de homicídio doloso contra Lucas Spernau

O promotor chegou a conclusão de que Lucas assumiu o risco de matar as vítimas do acidente depois que viu as imagens da câmera de segurança da PM.

Ele aguarda agora o laudo do perito da polícia civil que analisou a caminhonete de Lucas, a Nissan Infinity, placa MER-5513 (Balneário Camboriú), e irá trazer com exatidão qual era a velocidade do carango no momento do acidente. ?É claro que ele estava acima da velocidade. O impacto foi tão forte que ele perdeu o controle e entrou na loja?. José de Jesus pretende encaminhar à juíza de plantão Adriana Lisboa, a denúncia em cinco dias. A partir da decisão da juíza é que será definido o tipo de crime que Lucas será julgado. ?A juíza já sinalizou que ficaria sob a análise do MP a existência do dolo. E o MP conclui nessa direção?, garantiu o promotor.

O dotô responde pela promotoria do Balneário durante o plantão, até o dia 28 de dezembro, já que o pessoal da justa está no recesso de fim de ano. Antes disso, ele pretende concluir a denúncia e encaminhar à juíza. O promotor garante que não vai largar o osso enquanto não mandar Lucas pro tribunal do júri, que é encarregado de julgar casos assim. ?O que o MP quer é que o devido rigor seja aplicado pra todos, seja pro mais pobre ou o filho de uma pessoa que já foi autoridade na cidade?, lascou.

Na segunda-feira, o delegado de plantão da noite do acidente, Renato Mattos, denunciou Lucas por homicídio culposo, quando não há intenção de matar. O delegado justificou que não foram confeccionadas provas contra o acusado, já que ele não fez o teste do bafômetro que comprovaria que ele estava bebum. Com a culpa amenizada, o rapaz ficaria menos tempo no xadrez e poderia até responder em liberdade.

Pro promotor Wilson, a denúncia do delegado foi equivocada. ?Pelas circunstâncias mostravam um dolo eventual, ou seja, ele assumiu a responsabilidade do risco?, disse. Assim que for liberado da internação do hospital o garotão será encaminhado direto pro xilindró, isso se o advogado não conseguir antes um hábeas-corpus.

A assessoria de imprensa do hospital informou que Lucas permanece internado e não há previsão de alta. Lucas teve ferimentos na cabeça por causa da trombada e das porradas que levou do povão indignado, que passou pelo local e tentou linchá-lo.

Ontem o delegado responsável pelo caso aguardava o aparecimento dos outros dois rapazes que estavam com Lucas no dia do acidente e trataram de fugir. O advogado da dupla, identificados como Leandro e Ruan, garantiu ao dotô Renato que eles vão se apresentar antes do Natal.

O delegado conseguiu o nome dos moleques depois que pegou o depoimento de Lucas no hospital. O rapaz jurou de pés juntos que o acidente foi uma fatalidade, que não estava rapidão e muito menos bebum, já que tinha tomado remédios pra gripe e não poderia ingerir uma gota de álcool. Já o filho do vice-governador, Leonel Pavan Junior considerou um absurdo o buxixo de que estaria de carona no carro de Lucas Spernau na madrugada do acidente. Junior sisse que estava em Bombinhas, na casa da família com o pai, a mãe e sua esposa. No acidente morreram o taxista Natalino Amaral Gomes, o Gaúcho, 52, e os passageiros Edival Dias de Oliveira, 38, e Simone Borges Machado, 27.

Carro de gurizão era equipado com moderno sistema de proteção

A caminhonete importada que o estudante de Engenharia Civil, Lucas Ricardo Spernau, 19 anos, dirigia na madrugada de domingo quando se envolveu num porradaço que tirou a vida de três pessoas pode ter livrado o garotão da morte. Segundo os sites especializados em carros, a maioria das Nissan Infinti FX 35, do tipo da pilotada por Lucas, que são trazidas ao Brasil são da versão mais potente, já que quem encomenda um carro costuma pedir o que há de mais sofisticado na linha, principalmente no que se refere ao sistema de segurança (Veja quadro).

Não é só o motor que atrai os compradores. As rodas originais são de aro 20 polegadas, tem câmera para manobras para trás, a tela de informações de sete polegadas, faróis bi-xenônio, retrovisores aquecidos (para derreter até neve) e ajustes elétricos dos bancos e do volante, além do mínimo indispensável em carros desse segmento: como ABS freios a disco nas quatro rodas, ar-condicionado e comandos elétricos de vidros, retrovisores e travas.

Segurança

1 ?  A Nissan Infinti possui um sistema de air bag que inclui duas bolsas de ar suplementar com um sistema de sensor que funcionam acoplados ao cinto de segurança e um sistema de detecção que ajusta a taxa de inflação dependendo da gravidade da colisão. Se o banco do passageiro está vazio, um sensor ira desativar o airbag.

2 ? Possui um sistema de bolsa complementar para o motorista e para o passageiro

3 ?  Sistema de air bags de cortina lateral suplementar com sensor de capotamento para frente e para traseira, e proteção da cabeça para os ocupantes

4 -  Sistema de cápsula reforçado dianteiro e traseiro, e zonas de deformação

  •  

Deixe uma Resposta