• Postado por Tiago

Crime rolou no chiquetoso bairro de classe média-alta Iate Clube

A polícia diz que empresário dono da baia estaria envolvido com fabricação de equipamentos usados em jogatina

Três bandidaços invadiram ontem uma residência chique em Balneário Camboriú, mataram a dona da casa, Pâmela Cristiane Mittman, 26 anos, espancaram outras duas pessoas e fugiram levando dólares e joias. O crime abriu o contador de homícídios na cidade este ano.

Era perto da 1h da madruga quando o empresário Jean Pierre Donner, 35, chegava em casa, na rua Aurora, no bairro de classe média-alta Iate Clube. Ele estava acompanhado da mulher, Pâmela, e da sogra, Cristina de Lourdes Alvarez Rocha, 48. No momento em que o portão eletrônico abria, dois dos ladrões apareceram empunhando pistolas. A família foi levada rapidamente pra dentro de casa. O terceiro bandido surgiu depois, armado com um revólver.

Jean e a sogra contaram que os bandidos começaram a tocar o terror, exigindo dinheiro e joias. Cristina entregou todo o dinheiro que tinha na carteira, aproximadamente R$ 600, mas não foi suficiente pra acalmar os assaltantes.

Pâmela foi levada por um dos criminosos até o piso superior da casa, onde o maldito começou a ameaçar a mulher de morte. Ela pegou cerca de US$ 1200 e joias que tinha escondido num armário e entregou pro criminoso.

Ao conseguir o que queria, o desalmado executou a madame com um tiro na cabeça. Depois desceu com a grana, conversou com os comparsas, que ainda tiveram tempo pra dar uns chutes em Jean e uma coronhada na cabeça de Cristina, antes de picar a mula. Além da grana e das joias, eles levaram um notebook e três telefones celulares.

Sem vida

Assim que os bandidos saíram, Jean e Cristina, que estavam desesperados por ter ouvido o barulho de um tiro, correram ao andar de cima da casa. Encontraram Pâmela morta.

Os vizinhos, ainda muito assustados com o crime, contaram ao DIARINHO que a ação da bandidagem foi silenciosa. Eles somente repararam que algo tinha acontecido quando apareceu uma montoeira de carros da polícia na rua.

Fabricava máquinas de jogos

A polícia Civil informou que Jean era fabricante de máquinas de jogos. O sujeito tinha várias peças na sua residência e trampava com distribuição de equipamentos de jogatina na cidade. Os homisdalei desconfiam que o crime possa estar relacionado com a atividade de Jean.

Pelas descrições dos sobreviventes, os três assassinos são brancos e aparentavam ter entre 23 e 25 anos. Um deles, de estatura média, tinha barba rala e estava usando bermuda jeans larga, moletom de cor escura e boné escuro. O outro é alto, magro, cabelo liso, e usava uma camiseta escura e calça jeans. Há pouca descrição do terceiro.

Este foi o primeiro assassinato de 2010 registrado em Balneário Camboriú.

Grupo misterioso fuzila gurizão no Monte Alegre

Não durou muito tempo a feliz marca de nenhum homicídio registrado em 2010 em Camboriú. No final da noite de sexta-feira, dia 22, um gurizão de 16 anos foi assassinado com cinco tiros. A execução rolou no bairro Monte Alegre. Foi o primeiro homicídio do ano na Capital da Pedra.

O assassinato rolou às 23h, na rua Monte Bandeira, onde o corpo foi encontrado durinho e estarrado no chão. A polícia Militar relatou que o moleque morreu com cinco tirombaços à queima-roupa. Os bombeiros foram chamados por populares que ouviram os tiros, mas nada puderam fazer. O rapaz morreu na hora.

Testemunhas disseram que os responsáveis pela barbaridade tavam num Fiat Palio de cor verde. Além da caranga, uma motoquinha preta teria dado cobertura ao atirador. Depois do crime, eles se escafederam e não foram encontrados pela PM, que realizou buscas pelas redondezas.

A suspeita levantada pelos policiais é de que o homicídio tenha ligação com o mundo do tráfico. A polícia Civil já assumiu o comando das investigações.

  •  

Deixe uma Resposta