• Postado por Tiago

predio-alta-floresta---balneario-(4)

Traste escalou sacadas para invadir apê e fugir de caranga

Um ladrãozinho abusado aprontou todas num prédio do centro de Balneário Camboriú, na madrugada de ontem. O cara escalou o edifício, entrou num apartamento pela janela, juntou uma renca de badulaques, e fugiu usando o carro das vítimas. Antes de siscapar, o sem-noção trocou suas roupas pelo terno que tava no porta-malas do possante. Além de seus trapos velhos, ainda deixou um cachimbo de crack largado no chão, como lembrança.

O atraque rolou no segundo andar do edifício Alta Floresta, que fica na rua 501. A dona do apê, a professora aposentada S.W.L., 59 anos, tinha ficado acordada até a 1h da manhã, conversando com o irmão e a cunhada, que tão de visita em sua casa. Só por volta das 6h, quando acordou, é que ela percebeu que tinha levado um baita preju.

Durante a madrugada, um ladrão escalou o prédio vizinho, pulou de uma sacada até a janela dela, e fez a festa. Ele surrupiou um notebook, que tava em cima da mesa da sala, e as chaves do Sandero, placa APW 5353 (Curitiba/PR), que pertence ao irmão da professora, e tava dando sopa na cozinha.

Achando que tinha tirado a sorte grande, o larápio deixou o apê e seguiu até a garagem. Antes de dar a partida no possante, o traste abriu o porta-malas pra ver se tinha mais alguma coisa de valor, e deu de cara com umas roupas chiquetosas do dono do carro.

O ladrão gostou tanto dos trajes, que resolveu se trocar e sair do prédio bonitão. Ele arrancou os trapinhos que vestia e deixou tudo caído na garagem. Até um cachimbo, daqueles usados pra fumar crack, o bandido resolveu abandonar por ali mesmo.

O traste siscapoliu no Sandero, todo engomadinho, e não deixou rastros. A dona do apê onde ele entrou, que tá morando há apenas dois meses em Balneário, ficou apavorada com o atraque, e chamou a polícia Militar. Os milicos bem que procuraram, mas não conseguiram achar nem sinal do ladrão.

Na jaula

Já Roberto Carlos dos Santos, 42, não teve tanta sorte. O cara, que já cumpriu cana boa parte da vida, resolveu surrupiar a casa de um vizinho seu ontem à tarde, na rua Tailândia, bairro das Nações, e sideu mal.

O pessoal que vive pelas redondezas estranhou o entra-e-sai de Roberto na baia de uma família de gringos, e chamou os milicos. O tanso já tinha carregado roupas, máquina fotográfica, vídeogame e até torradeira dos vizinhos. Ele foi levado divolta pra trás das grades.

  •  

Deixe uma Resposta