• Postado por Tiago

Um larápio botou a mão em 18 mil reales que tavam escondidos dentro de um cofre numa baia da rua Indonésia, no bairro das Nações, em Balneário Camboriú. O traste aproveitou o horário em que não tinha ninguém em casa pra arrombar a porta e passar a mão grande na dinheirama. Pra puliça, quem fez a sacanagem conhecia muito bem a casa e sabia o que tinha dentro do cofre.

A dona da casa, uma mulé de 42 anos, chegou do serviço por volta das 21h, na quarta-feira, e estranhou quando percebeu que o cadeado do portão tinha sido trocado por alguém. Ela teve uma trabalheira pra abrir o trambolho, e quando finalmente conseguiu entrar na baia, já desconfiava que tinha rolado alguma coisa errada, tomou um baita susto.

A fechadura da porta tinha sido arrombada. A coitada, apavorada, imaginou que um ladrão tinha feito uma visitinha por ali e bizolhou cada cantinho pra ver o que tinha sido levado. Ela percebeu que o larápio não mexeu em nenhum de seus pertences que tavam dando sopa, mas arrombou a porta do cofre onde ela escondia os badulaques de valor.

O ladrão surrupiou todas as joias da mulé, dois celulares que tavam guardados no cofre e R$ 18 mil em dindim. A dona da casa acredita que o estrago tenha sido feito entre 18h e 21h, horário que sua diarista já tinha saído do trampo e a baia tava vazia.

O caso foi registrado ontem na depê da Maravilha do Atlântico, e tá sendo investigado pelos homisdalei. Os tiras acreditam que o ladrão seja alguém que conhecia a rotina da família e sabia muito bem que tinha grana guardada no cofre, já que o traste não mexeu em mais nada e parece não ter tido trabalho pra encontrar o que queria.

Mãos ao alto

Uma tiazinha levou um baita preju por volta do meio-dia de ontem, em Balneário Camboriú, depois de ter saído do banco com uma sacolinha recheada de dindim. A pobre foi atacada por um malaco que roubou a sacolinha e a deixou a ver navios.

A mulé tinha sacado 500 pilas na agência do banco Itaú, que fica avenida Brasil, e colocado na sacolinha pra não chamar a atenção da bandidagem. Mas, pelo jeito, a tática não deu muito certo.

Quando ela voltava pra casa, toda faceira, pela rua 2500, um mulambento partiu pra cima dela, lascou-lhe o mãos ao alto e arrancou a sacola com a grana.

  •  

Deixe uma Resposta