• Postado por Tiago

CAPA-GERAL-BASE-posse-dos-vereadores-e-prefeito-(3)

Lamim: ?Eu estou consciente de que não fiz nada de errado?

O vereador Laudelino Lamim (PMDB) gastou mais de R$ 7 mil da câmara de vereadores pra participar de um curso de aperfeiçoamento em Aracajú, no final de julho. O mesmo curso foi oferecido, em pelo menos duas ocasiões, em datas diferentes, em Florianópolis, o que representaria uma economia de mais de R$ 2,5 mil da graninha do povo.

Lamim teve na capital sergipana do dia 26 ao dia 31 de julho pra participar do Fórum Interestadual de Administração Pública, realizado pelo Instituto Brasileiro de Apoio aos Municípios (IBRAM). O mesmo cursinho rolou uma semana antes, em Floripa, e também em agosto. E vai rolar agora em setembro dinovo na capital manezinha. Conforme decreto da câmara, as diárias pagas pela casa do povo aos vereadores pras viagens fora do estado custam o dobro das que rolam dentro da Santa & Bela.

O presidente da câmara, Luiz Carlos Pissetti (DEM), diz que a lei municipal recomenda que seja dada preferência pra cursos e viagens pra locais dentro do estado, mas que a situação não é simples. ?Isso é muito subjetivo, pois sempre irá depender da semana que o vereador tem a disponibilidade pra fazer o curso. Ele (Lamim) aproveitou o recesso da câmara?, explicou.

No início de agosto, o Ministério Público pediu pra Lamim e pra presidência da casa do povo sisplicarem e dizerem se as despesas com as passagens da esposa do vereador, que também foi pro nordeste na época do curso, foram pagas com dinheiro público e também explicar alguns perrengues encontrados no relatório do curso, que Lamim apresentou depois da viagem. A confusão gerou um processo interno na câmara, um calhamaço que o presidente Pissetti e o procurador jurídico Ivan Macagnan forneceram ao DIARINHO e explicaram tudinho. As despesas com as passagens da esposa de Lamim não foram pagas pela câmara, conforme os documentos enviados ao MP.

Mas a promotora Darci Blatt, da 9ª Promotoria de Justiça de Itajaí, não acatou as explicações do vereador e segue na cola de Lamim. Através da assessoria do MP, a dotôra afirmou que as informações que ela recebeu foram insuficientes pra analisar o caso e terminar o perrengue. A promotora disse que já solicitou mais informações pro vereador.

Tranquilo

O vereador confirmou que deu um vacilo na hora de fazer o relatório do curso e da viagem e esqueceu de colocar dois itens no textinho. ?Foi um equívoco meu. Deixei de mencionar no conteúdo os assuntos da PEC dos vereadores e sobre a oratória parlamentar, mas já esclareci isso também?, sisplicou.

Lamim conta que fez a viagem pra Aracaju, pois era a única data que tinha disponível e que aproveitou mesmo a folguinha dos legisladores. ?Trabalhei até o dia 25 de julho e viajei no dia seguinte. Eu estou consciente de que não fiz nada de errado, tenho a consciência limpa porque sei do meu trabalho. Sou o presidente da comissão de ética da câmara, não seria eu que viria a manchar a imagem da casa?, completou.

  •  

Deixe uma Resposta