• Postado por Tiago

O recepcionista P.R.R., 48 anos, de Navegantes, tá cabreiraço com essa história do pessoal do ferri-bote exigir que os passageiros saiam do carro na hora em que as barcas tão navegando. Além de não concordar com a norma, ele ainda diz que os próprios funcionários das balsas não têm critério pra fazer a exigência. Em alguns casos obrigam o povão a pular fora do carango e em outros não.

Um exemplo citado pelo leitor é a balsa que não tem cobertura. Nela, nos dias de chuva, os funcionários não cumprem a ordem da marinha e deixam todo mundo dentro dos veículos. Nas demais balsas, ocorre o contrário e é isso que deixa P. cabreiro. “Eu tenho filhos que acordam seis horas da manhã e vêm para Itajaí. Eles têm que sair do carro no frio que tá. Acho uma judiaria”, comenta.

P. questiona até a fiscalização da capitania dos portos. Pra ele, de nada adianta tirar o povão dos carangos se não há orientação de como proceder num caso de acidente. “Aí, do que adianta ter pedido que as pessoas saiam dos carros?”, questiona.

Marinha tá de olho

Adriene Carlotto, da assessoria de comunicação da capitania dos portos, diz que a Marinha tem fiscalizado as embarcações da empresa de navegação Santa Catarina, responsável pelos ferribotes que fazem a travessia entre Navega e Itajaí.

A exigência de que os motoristas e ocupantes dos carangos tenham que sair do veículo na hora em que a barca tá navegando é lei e vale para todo o país. “No entanto a empresa [dona do ferri-bote] não está cumprindo com as exigências necessárias. A mesma já foi autuada algumas vezes”, revelou.

  •  

Deixe uma Resposta