• Postado por Tiago

Custou uma nota preta a limpeza dos 20 mil litros de óleo de cozinha que vazaram dentro do canal Marambaia. Estão avaliados em cerca de R$ 20 mil os três dias de trabalho e o aluguel dos materiais da empresa de segurança ambiental, Ecosorb, do Itajaí. Uma reunião com técnicos da empresa, marcada pra hoje, deverá acertar os custos.

A prefeitura terá que pagar cerca de R$ 20 mil pra Ecosorb pelos serviços de monitoramento e contenção do vazamento e limpeza do canal do Marambaia. Os trampos são cobrados por horas de serviço prestadas e quantidade de técnicos deslocados. Os valores por hora ainda não definidos, mas sabe-se que são caros pacas. O aluguel do Skinner, que é aquele aspirador grandão que sugou a meleca, e o aluguel das barreiras de contenção especiais são os mais caros. Cada pedaço da barreira custa em média 300 contos e foram usadas oito barreiras no canal.

O secretário de Meio Ambiente, André Ritzmann, afirma que as formas de pagamento ainda serão acertadas, mas sairão da verba do município destinada à proteção ambiental. “No orçamento da Emasa já é previsto esse tipo de gasto”, garante.

  •  

Deixe uma Resposta