• Postado por Tiago

A loja não anuncia na vitrine que faz beicinho pra ASPMI

Cristiano Gonçalves, 32 anos, o Frank, trampa na Câmara de Vereadores de Itajaí e é filiado à associação dos Serviços Públicos de Itajaí [ASPMI]. Na manhã de terça-feira, ele foi às compras na loja Everest Modas, na rua Hercílio Luz, a principal rua de comércio da cidade. A intenção era levar um par de sapatos, mas o barnabé quase teve um troço quando soube que o preço da mercadoria praticamente ficaria 70% mais caro se ele usasse o convênio que a ASPMI tem com a loja. ?Então eu pago uma mensalidade superior a 40 reais para não ter benefícios??, questiona, revoltado.

Frank tava de olho num pisa macio da Macbooth. O calçado tá na promoção: R$ 50. Depois de provar e se agradar do sapato, Cristiano informou que iria usar o cartão da ASPMI pra fazer a compra. Foi aí que teve a surpresa. Pelo convênio, o pisante passaria a custar R$ 85. ?Isto é legal??, questiona.

A indignação do barnabé é porque paga em dia mais de R$ 40 pra ASPMI pra poder curtir os benefícios da associação, inclusive os descontos em convênio. Mas, na hora do vamo vê, o convênio não serve pra nada, reclama.

A atendente teria dito ao consumidor que o valor aumentava porque, como ele tava pagando no convênio, o produto saía da promoção. Frank não gostou da desculpa esfarrapada e desistiu da compra. Pra ele, isso é sacanagem, já que a tal explicação não tava anunciada na vitrine da loja, junto com os sapatos supostamente em promoção.

Parcelado é mais caro

Maria Isolete Dutra, que trampa no crediário da Everest, confirmou o reclame do barnabé. Disse que o preço realmente só fica na promoção se for pago em dindim vivo, em uma vez no cartão de crédito ou ainda no débito automático. Se parcelar, o preço sobe.

A funcionária disse ainda que aquela era a política da loja e que, por isso, não pode dar o desconto ao funcionário da Câmara.

Se não anunciaram, têm que dar o desconto

Rafael Seára Júnior, chefão da Procon de Itajaí, diz que o produto pode ser mais caro a prazo, desde que teja bem explicadinho na vitrine. Se o anúncio não excluía o cartão do convênio da ASPMI, como disse Frank, a loja teria que vender o sapato pelo preço da promoção. ?A oferta tem que ser clara para que o consumidor não precise nem chamar um funcionário pra esclarecer. Se ela vale somente pra dinheiro ou pro cartão X, esta informação também deve estar com a divulgação do preço?, explica.

A Procon de Itajaí fica na avenida Joca Brandão, 655, no centro. Os telefones pra denúncia são o 3248-8174 e o 151, que é digrátis.

  •  

Deixe uma Resposta