• Postado por Tiago

Tela Quente, Sílvio Santos, CQC e pânico na TV. Há pelo menos quatro meses nada disso o navegantino Onofre Aparecido Barbosa e sua família conseguem assistir. A TV zero bala que compraram nas Pernambucanas de Itajaí não funciona. E o pior: a loja até aceita trocar o aparelho, mas o cliente teria que esperar dois meses.

Revoltado com a sacanagem, Onofre resolveu soltar os cachorros na gerência da loja. Veio ontem ao DIARINHO com a nota fiscal e com o laudo da assistência técnica, onde é informado que o aparelho tá condenado. A TV 21 polegadas da marca LG, diz o dengo-dengo, tá toda enferrujada por dentro. “A gente liga, ela funciona uns cinco minutos e depois apaga tudo”, reclama.

Onofre foi duas vezes ontem na Pernambucanas. Da primeira, afirma que foi malatendido por um dos gerentes. “Ele foi grosso. Disse que só daqui a 60 dias vai resolver o meu problema”, relata. Foi por isso que o consumidor veio ao DIARINHO e depois deu um pulo na procuradoria de Defesa do Consumidor (Procon), da prefeitura.

Rafael Seára, chefão da Procon, explica que Onofre deve entregar o aparelho na loja e esperar no máximo 30 dias para consertarem o equipamento ou lhe entregarem outra TV. Depois disso, o consumidor deve ser ressarcido do preju. “Mas ele deve pegar um recibo de entrega da mercadoria”, ressalta Rafael.

Da segunda vez que foi à Pernambucanas, Onofre deixou a TV. Mas afirma que a gerência não quis lhe dar o recibo. “Deixei lá. Eles dizem que em 30 ou 40 dias vão resolver”, contou.

Ilson Souza, gerente da Pernambucanas, nega que ele ou seu colega Samuel, coordenador de atendimento, tenham recebido Onofre ontem. Mas garante que se for procurado e a TV ainda estiver na garantia, resolverá o problema do cliente em no máximo 30 dias, conforme manda a lei.

  •  

Deixe uma Resposta