• Postado por Tiago

O povão da região pode bancar o Papai Noel de um pequerrucho precisado. Os bons velhinhos de plantão têm só mais quatro dias pra ir até os Correios e adotar uma cartinha de uma criança carente. Cerca de 250 pedichos estão depositados na cestinha da agência do Balneário Camboriú, mas até agora só 25 cartinhas foram atendidas.

As cartinhas estão à disposição do povão desde 17 de novembro, mas só 10% delas foram escolhidas. “Muitos não têm ajudado porque estão deixando pra mais perto da época do Natal”, acredita o gerente da agência do Balneário, Sérgio André Guedes Gonçalves.

Pra garantir que todas as cartas sejam atendidas, a arrecadação dos presentes, que tava marcada pra até dia 5 de dezembro, foi ampliada pra mais quatro dias.

Até ano passado, a entrega dos presentes era feita até a véspera do Natal, mas o gerente da agência do Balneário explica que esse ano adiantaram o recolhimento pra evitar que os brinquedos cheguem atrasados. “Cheguei a fazer entrega com o meu próprio carro na noite do dia 24”, conta Sérgio.

Quem quiser ajudar só tem que dar um pulo na agência que fica na esquina da rua 1101 com a avenida Brasil. Pra pagar de Papai Noel basta pegar uma cartinha, ler e depois levar o presente pedido pelo pequeno.

Projeto fez parceria com escolas

A arrecadação de cartinhas de crianças pobrinhas é um projeto bolado pelos Correios do Brasil há 12 anos. Até ano passado, o espaço era aberto pra todo o povão necessitado que escrevia os seus pedichos, deixava no cesto das agências de suas cidades e esperavam a ajuda do bom velhinho de plantão.

Mas, este ano, as agências dos Correios fizeram diferente. Firmaram parceria com escolas municipais dos 62 municípios parceiros na iniciativa. Alunos de primeira a terceira série tiveram o direito a escrever as suas redações. A cada ano, será escolhida uma escola municipal das citys participantes.

Peixeiros podem atacar de Noel

Na agência central dos Correios de Itajaí cerca de 1,2 mil cartinhas foram entregues. Os interessados têm até amanhã pra escolher qual criança vai ajudar. Até agora, só 118 cartas – cerca de 10% do total foram atendidas. Então, se o povão tá a fim de ajudar, é bom correr. De acordo com o gerente da agência, Luiz Alberto Maba, as cartas ficam à disposição das pessoas, mas tão sendo cadastrados pedidos de brinquedos, alimentos e roupas. Computadores e outros luxos ficam de fora.

  •  

Deixe uma Resposta