• Postado por Tiago

Perguntado se tava feliz em sair do cadeião, Lucas disse: ?Ô?

O advogado José Álvaro Machado foi a única companhia do estudante Lucas Spernau, 19 anos, em sua saída do presídio de Balneário Camboriú, ontem à tarde. O playboyzinho, que no dia 20 de dezembro atravessou a Terceira avenida voando baixo e atingiu um táxi, matando três pessoas, tava engaiolado há uma semana, e conseguiu um novo hábeas corpus junto ao Superior Tribunal de Justiça (STJ). Por uma infeliz coincidência, ontem também foi o primeiro dia em casa da única vítima que sobreviveu ao acidente, Karina da Silva, 22, que saiu do hospital. A moça ainda não caminha e fala muito pouco, e continua em recuperação.

Lucas foi preso em flagrante logo após o acidente, mas como tinha se arranhado com o porradaço, passou um tempo internado e não chegou a ir pra trás das grades. Dois dias depois, seu advogado conseguiu no Tribunal de Justiça (TJ) um hábeas corpus que devolveu a liberdade pro rapaz.

A sorte do moleque tinha mudado há pouco mais de uma semana, quando os dotôres do TJ voltaram atrás na decisão e mandaram que ele fosse grampeado. Desde então, Lucas tava preso numa jaula onde tão 30 presos condenados, que fazem serviço na cozinha e na limpeza do cadeião, e teve que se adaptar às regras da casa. Ele tava nessa cela, longe dos outros engaiolados, porque rolaram boatos dizendo que sua cabeça tava a prêmio.

Durante o período em que esteve preso, Lucas ganhou visitas do advogado que o defende e da mãe, a ex-primeira-dama da Maravilha do Atlântico, Lígia Spernau. Apesar de ser cheio da nota, o rapaz não costumava receber comida vinda de casa todo dia, e teve que engolir muita quentinha de cadeia.

Enfim, solto

A defesa de Lucas recorreu ao STJ pra conseguir tirá-lo da prisão. O pedincho foi aceito na quarta-feira, mas a ordem pra soltá-lo só chegou ao cartório da 1ª Vara Criminal de Balneário ontem à tarde.

Assim que botou as mãos no papéli, José Álvaro Machado seguiu até o presídio pra buscar Lucas. ?Já esperávamos por isso, porque ele tem todos os requisitos pra responder todo o processo em liberdade?, disse. Lucas resolveu fazer boquinha de siri e não quis falar sobre sua temporada no cadeião. Perguntado se tava feliz em ser solto, limitou-se a dizer ?Ô?.

Agora, cabe ao Ministério Público decidir se recorre ou não da decisão do STJ. A assessoria do promotor Américo Bigaton, que tá responsável pelo caso, informou que até a tarde de ontem ainda não tinha recebido o comunicado sobre a soltura do rapaz.
Só depois que ler a decisão do STJ, o dotô vai decidir se carca um novo pedido de jaula pro Lucas.

  •  

Deixe uma Resposta