• Postado por Tiago

2009 terminou, um ano de muita corrupção, impunidade, descaso aos direitos mais básicos do cidadão brasileiro, de muita chuva, ventos e tempestades. Ainda bem que terminou. Mas 2010 começou muito mal, com soterramento de casas e muitas mortes. Esperemos que ele melhore e possamos comemorar um ano bom, quando dezembro chegar.

O ano passado já terminou com as chuvas causando deslizamentos e alagamentos em várias partes do país. Mas foi no raiar no novo ano que a tragédia aconteceu no Rio e em São Paulo, com a terra deslizando sobre casas e pessoas, matando dezenas delas, transformando o réveillon em um filme de terror.

Uma terrível constatação é a de que este filme já passou antes. Em Santa Catarina, no Rio Grande do Sul, no Nordeste, em vários pontos do país. E muito pouco foi feito. Sim, porque essas tragédias que vêm acontecendo não são culpa do tempo, pura e simplesmente. A terra está despencando em cima de casas, pousadas, hotéis que foram construídos em áreas onde o ser humano não deveria estar. São áreas de risco muito claras. Então por que foram autorizadas tantas construções?

Como em Angra dos Reis e Ilha Grande, há construções encostando nos paredões. E se elas estão lá, funcionando, com água, luz, acessos, é porque houve autorização do poder público que deveria fiscalizar a não ocupação de áreas de risco, para que não acontecessem as tragédias que estão acontecendo.

É a politicagem e a ganância em vender mais imóveis e receber mais impostos que fazem isso e inocentes é que pagam pelo crime cometido. Sim, porque isso é crime e quem autorizou a ocupação de áreas de risco deveria ser responsabilizado.

Mas infelizmente os mortos são contados, viram manchete nas diversas mídias e amanhã tudo volta ao que era antes, até que outra tragédia aconteça. E pouco se faz para que o massacre seja evitado.

Que este ano de 2010 seja de conscientização para todos nós, que devemos implementar esforços para que o que vem acontecendo seja evitado. Temos que parar de construir em encostas, pés de morros, altos de morros. É preciso que haja lei nesse sentido, se ainda não há, e que ela seja cumprida. Ou o massacre continua.

A natureza não pode ser responsabilizada pelos erros dos homens.

* é coordenador do Grupo Literário A ILHA em SC e autor de mais de 50 livros

  •  

Deixe uma Resposta