• Postado por Tiago

A luz no túnel e o brilho imperial…

Pingo – O Ministério Público de Minas Gerais quer que o senador Eduardo Azeredo (PSDB-MG) e os demais envolvidos no chamado mensalão mineiro devolvam o dinheiro supostamente desviado dos cofres estaduais. A ação judicial contra o grupo cobrará o ressarcimento de pelo menos R$ 2 milhões dos R$ 3,5 milhões que teriam sido usados para financiar a campanha do tucano à reeleição ao governo mineiro, em 1998. A previsão é que a ação seja ajuizada no início de 2010. Além de Azeredo, que enfrentará ação penal no Supremo Tribunal Federal (STF) por ter foro privilegiado, 11 pessoas respondem a processo criminal na Justiça de Minas e podem ser arroladas.

Respingo – Finalmente acenderam uma lamparina no fim do túnel. Tomara que a moda pegue. Já imaginou obrigar também os “mensaleiros” do PT, os do DEM e também os “sanguessugas”, os “cuequeiros”, os “aloprados”, os “emessetistas” e outros “ongueiros” a restituírem as quantias indevidamente recebidas por conta de apropriações de dinheiro público. Daria para pagar um expressivo percentual da dívida pública interna que já ultrapassa os três bilhões.

Pingo – O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (LI) afirmou que, “modestamente falando, o Brasil deu a tônica” da 15ª Conferência do Clima das Nações Unidas (COP-15). Segundo ele, o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, que não iria à reunião, e os presidentes de outros países que se ausentariam resolveram comparecer à capital dinamarquesa depois que o Brasil anunciou metas de redução das emissões de gases causadores do efeito estufa. Lula afirmou que também a China só decidiu apresentar propostas de redução da emissão de poluentes depois do anúncio das metas brasileiras. De acordo com o presidente, a proposta de redução do desmatamento da Amazônia, sozinha, tem “um impacto maior do que todo o plano apresentado pelo presidente dos Estados Unidos”. Para ele, essa comparação é importante para se entender a dimensão da meta do Brasil.

Respingo – Está próximo o dia em que os pronunciamentos do “cumpanheiro imperador” na mídia mundial serão precedidos de uma expressão tão ao gosto da “cumpanheirada”: Nunca antes neste planeta terra, ou talvez, …neste mundo. Mas, conhecendo o “cara”, voto por esta ultima: “Nunca antes no universo …”.

Pingo – Numa reunião de cúpula do Mercosul (8/12), vazia de decisões sobre integração, o presidente da Venezuela, Hugo Chaves, ainda “penetra” no grupo, atacou o Peru, Colômbia e México por acompanharem a linha de Washington no caso Honduras e voltou a denunciar o acordo militar entre EUA e Colômbia, como um “plano de guerra e espionagem contra toda a America do Sul”.

Respingo – O Mercosul foi criado com a finalidade de estabelecer uma aliança entre os países do cone sul ( Brasil, Argentina, Uruguai e Paraguai ), em busca de um intercâmbio de mercadorias, tecnologias e de profissionais, maior do que vinha sendo praticado, e uma redução gradativa ou eliminação de tarifas cambiais. A livre circulação, de bens, serviços e capitais e o tratamento homogêneo nas relações comerciais com outros países foram escolhidos como estratégias para o aprimoramento da competitividade dos agentes econômicos intra-bloco, tendo-se como horizonte sua melhor inserção econômica em um cenário internacional caracterizado pela globalização dos circuitos produtivos financeiros e pela consolidação dos blocos regionais de comércio, num contexto histórico pós-guerra fria marcado pelo influxo das novas tecnologias de informação e das novas organizações enxutas e flexíveis. Fica fácil concluir-se que a Venezuela “bolivariana”, que pretende ingressar no bloco, não entendeu o espírito da coisa e quer ali fazer mais um palanque. Cabe ao Senado Federal abater mais esse delírio do Chaves.

Pingo – As três dezenas e meia de ministros do presidente LI experimentaram forte sensação de frustração ao receberem, na semana passada, o resultado do PIB do terceiro trimestre, que mostrou ter sido a recuperação da economia bem menos acelerada do que a pirotecnia governamental, estando a apontar para o resultado anual negativo.

Respingo – Os analistas acreditavam que o PIB do terceiro trimestre superaria o segundo cerca de 2%, entretanto a evolução foi de apenas 1,3%. Conseqüentemente o PIB acumulado no ano (até setembro) ficou 1,7% menor do que estava no final de dezembro passado e 1,0% menor do que há doze meses. O buraco está aumentando!

Pingo – O terceiro trimestre demonstrou alguma recuperação da economia revelando, entretanto, dois dados preocupantes: a taxa de investimento alcançou 17,7% do PIB ante 20,8% do mesmo período em 2008 e a poupança ficou em 15,5% do PIB, valor mais baixo desde o mesmo trimestre de 2000.

Respingo – O quadro real apresenta cores bem mais apagadas do que o exuberante colorido da propaganda oficial, pois o PIB de 2009 vai depender do resultado do quarto trimestre, mas será, de qualquer forma, inferior a 1%. O país está obrigado a trabalhar com um horizonte que ultrapassa o final de 2010, o que indica um sério enrosco fiscal no mandato presidencial que se seguirá ao atual.

Álvaro Brandão

* bacharel em Direito, mestre em Ciência Jurídica, na área de concentração em fundamentos do direito positivo, pela Univali.

  •  

Deixe uma Resposta