• Postado por Tiago

A difícil liderança no continente

Pingo – Informações dos setores responsáveis pelo controle do ensino universitário dão conta que as vagas ociosas nos cursos de universidades federais subiram 117% em um ano. Acrescenta ainda a informação que 7387 vagas não foram preenchidas pelos vestibulares no ano de 2008, conforme foi apurado no Censo de Educação Superior.

Respingo – A notícia leva à conclusão de que há saturação de mercado e o que é pior, o atual governo investe R$ 2 bilhões em programas de expansão do número de universidades. Uma administração séria já teria revisto a sua política para o ensino universitário e canalizado os recursos para etapas anteriores ao ingresso na universidade. Mas curso básico não dá discurso em palanque.

Pingo – Convidados para a Cúpula dos Países Amazônicos sobre mudança climática, realizada em Manaus, seis chefes de governo sul-americanos se ausentaram, dando um choque de realidade no L I que pretendia liderar, definindo uma posição comum para o bloco de oito membros, além da Guiana Francesa, na próxima conferência mundial sobre clima em Copenhague.

Respingo – Só o presidente francês, Sarkozy – por motivos óbvios, e o presidente da Guiana Inglesa atenderam ao convite. Esnobaram o “filho do Brasil” não só o presidente do Suriname, Ronald Venetiaan, como também o peruano Alan Garcia, o colombiano Álvaro Uribe e até mesmo os “cumpanheiros” Rafael Correa, do Equador e o “cocaleiro” Evo Morales. A grande ausência foi também a do “bolivariano espaçoso”, Hugo Chaves que depois da tramoia de Honduras, resolveu dar um refresco aos ouvidos alheios.

Pingo – “Isso é coisa de psicopata, só a psicopatia pode explicar”, disse o chefe de gabinete da Presidência Gilmar Mendes ao comentar acusações feitas pelo ex-militante petista Cesar Benjamin contra o presidente L I em artigo publicado na Folha de São Paulo. Segundo o escrito L I tentou abusar sexualmente de um colega de cela, quando esteve preso em 1980. “O presidente ficou triste ao ler o artigo”, completou o mesmo assessor.

Respingo – Será que o Benjamin é da “zelite”? – O presidente não respeita limites no tratamento dos demais, nem mesmo de cortesia. Lógico que respeito é bom e todo o mundo gosta. Mas é preciso se dar ao respeito e respeitar a todos para receber tratamento igual em troca. O constante uso do linguajar chulo, de críticas que mais parecem desaforos, a desqualificação moral de quem dele discorde, sem medir o nível inferior do atacado, acaba por colocar o autor em um patamar bem abaixo de seu posto.

Pingo – As eleições em Honduras, com a vitória de Porfírio ‘Pepe’ Lobo deram início ao desfecho de uma crise que repercutiu em toda a América Latina. A crise de Honduras expôs as mudanças na condução do Itamaraty, que fala em “atenuação do princípio da não-intervenção”, talvez pela ocorrência do “fator Chaves” que na sua agressividade tem levado o Brasil a reboque para posições onde não pretendia estar (veja-se o fato de hospedar Zelaya na embaixada brasileira).

Respingo – O Brasil, que já atuou como conciliador político neutro em crises internas de outros países latino-americanos, vê a sua diplomacia amargar derrotas sucessivas na disputa por cargos em organismos internacionais (UNESCO, OMC. BID, UIT e outros). Em Honduras está prestes a sofrer outro revés por ter aderido à causa do presidente Zelaya. E o inferno zodiacal continua atuante, semana passada contabilizou mais o fiasco da Cúpula Amazônica em Manaus e o da Unasul, em Quito marcadas pela irrelevância, dada a ausência de outros chefes de Estado.

Pingo – A posição do governo americano na crise de Honduras foi um autêntico balde de água fria nas expectativas dos líderes latino americanos em relação ao governo Barack Obama. Para o Brasil e os países da Aliança Bolivariana a posição americana é indefensável.

Respingo – Para o Brasil especialmente, como revela o ‘aspone’ Marco Aurélio Garcia: “Ele (Zelaia) está criando um certo transtorno, tal como quando a sua sogra vai para a sua casa”.

  •  

Deixe uma Resposta